LOGO_Backstage_Musical_NOVO2020_Crachá.

Igor Miranda e Luana Bichiqui Falam Sobre a Volta de Cinderella


O musical Cinderella reestreou em São Paulo, no Teatro Liberdade, com novo elenco, novos figurinos e novo cenário, mas nem todo elenco é tão novo assim. É o caso de Igor Miranda e Luana Bichiqui, que já integraram montagens anteriores da produção.


O Backstage Musical conversou um pouco com os artistas para saber um pouco mais dessa experiência e falar de como é poder finalmente voltar aos palcos depois de um período tão difícil para o teatro musical. Confira:


Vocês já estiveram no elenco de "Cinderella", como é retornar ao palco depois de tanto tempo, com esse espetáculo?

Igor: Cinderella é um lindo clássico, e tenho um carinho especial por esse projeto. É sempre bom dividir conhecimento com novos colegas de trabalho e ver as novas interpretações para os personagens que já conhecemos anteriormente interpretados por outros atores. Hoje posso dizer é que temos um elenco muito agradável, dedicado e estou feliz em fazer parte dessa magia novamente.


Luana: Eu amo Cinderella! Participei de todas as temporadas, desde sua estreia em 2016, com muito orgulho.

Ficar quase 2 anos em casa sem pisar em um teatro foi realmente desafiador, reflexivo e nos fez procurar outras alternativas de trabalho que às vezes nem mesmo nos relacionava com a arte, então, quando a Renata me convidou para voltar nem pensei duas vezes... ia retornar ao meu lugar com a magia de Cinderella, um espetáculo encantador e divertidíssimo.


É realmente um privilégio poder fazer parte dessa história, nesse momento que estamos vivendo, fazer parte do elenco da primeira produção que decidiu voltar, que deu o pontapé inicial e acabou incentivando muitas outras produções a voltarem também. É um risco, é desafiador, mas é extremamente gratificante.


Como foram os ensaios em meio a pandemia?

Igor: Foi prazeroso e ao mesmo tempo desafiador, pois retomar o convívio social depois de tanto tempo de reclusão foi um processo de readaptação, mas a produção tomou todos os cuidados para nos deixar seguros e confortáveis.


Luana: Encontramos uma nova forma de ensaiar e fomos aprendendo com o novo processo diariamente. Nossa rotina mudou, chegávamos nos ensaios fazendo testes de covid, todos com uma garrafinha de álcool em gel na mão e máscara no rosto, limpando sapatos na entrada... enfim, todos os protocolos que agora são característicos desse "novo normal".


Definitivamente, cantar e dançar de máscara não é fácil, tivemos que aprender como controlar nosso fôlego e acreditar nas expressões dos atores que não víamos por baixo das máscaras, mas deu certo. Quando chegamos ao teatro e finalmente tiramos nossas máscaras pela primeira vez, ao mesmo tempo que houve um estranhamento muito grande e uma apreensão, nós descobrimos várias criações e expressões que nos impulsionavam nas cenas, foi um processo muito diferente e desafiador.


Conte um pouco sobre os seus personagens!

Igor: Eu sou cover de Sebastiam e ele é um grande articulador. Trabalhar às nuances desse papel é uma delícia para qualquer ator. Agora eu estou dançando no Ensemble e eu não fazia isso há um tempo, estou amando dançar novamente.


Luana: Minha personagem é a Charlotte, uma das meias-irmãs da Cinderella e a filha rejeitada da madrasta.

A Charlotte é divertida, é doce, mas também é frágil, e tenta esconder isso sendo cruel, debochada e exagerada. Embora ela, nitidamente, não seja a filha preferida e ainda sofrer bulling por parte da mãe e da irmã, ela é mimada e se espelha nas atitudes da mãe. A mãe enxerga nela a filha que não deu certo, e vê um pouco de si mesma ali, mas a Charlotte acaba virando sua última opção em um determinado momento da peça.


O que essa temporada traz de novo para o palco?

Igor: Além de novos companheiros de trabalho, acho que o que essa nova temporada traz de mais especial é a esperança que o teatro musical está vivo, e isso me emociona a todo momento!


Luana: A nova temporada tem um vigor diferente, um entusiasmo e um frescor trazido por novos atores, o que cria conexões diferentes. Há uma nova forma de enxergar as mesmas cenas e personagens, vale muito a pena rever a história sendo contada de outros ângulos, por novas perspectivas e novas relações.


Porque todos precisam assistir "Cinderella"?

Igor: Primeiro por que está maravilhoso, segundo por que precisamos que o público retorne ao teatro. Todos os protocolos de segurança estão sendo seguidos para recebê-los em segurança. Esperamos por vocês.


Luana: Sempre é um bom momento para assistir Cinderella... embora seja um conto antigo, a história é atual, revolucionária, e reflete muito os tempos que vivemos atualmente, isso a torna reflexiva, além de ser encantadora e divertida. Falar sobre revolução, abuso moral com toques de diversão, sonhos e amor... com certeza será um entretenimento muito bem aproveitado.