LOGO_Backstage_Musical_NOVO2020_Crachá.

Frozen O Musical na Broadway Chicago




Por Polly Leite


Este mês assisti o musical Frozen no Cadillac Palace Theatre em Chicago, no Estados Unidos.

Eu sou uma apaixonada por Disney e Frozen é sim um dos meus filmes Disney preferidos, e quando surgiu a oportunidade de assistir ao musical, fiquei hiper feliz.


Bom, mesmo amando o filme eu fui assistir ao musical sem muitas expectativas, o que eu sabia sobre era o pouco que tinha visto quando surgiu o burburinho da estreia dele na Broadway há alguns anos.


Bom, vou começar falando do teatro:

O Cadillac Theatre abriu em 1926 como o New Palace Theatre construído a um custo de US$ 12 milhões, em 1984, o teatro foi rebatizado de Teatro Bismarck e se transformou em um local de rock. Em 1999, foi renovado e renomeado Cadillac Palace Theatre depois que a Cadillac comprou os direitos de nomeação. Os irmãos Rapp, George e Cornelius, foram responsáveis pela arquitetura do teatro, sua inspiração para a aparência do Palace Theatre veio do Fontainebleau e do Palácio de Versalhes , ambos encontrados na França.



Voltando ao Frozen:

Chegando no teatro meu lugar era na terceira fileira de cara para o palco (ganhei o ingresso de presente) e já pirei ali (depois de pirar na lojinha e não comprar nada por motivos de: dólar alto). Logo no início do espetáculo vemos a Pequena Elsa e a Pequena Ana, as atrizes eram muito boas, e ali já percebi que o espetáculo teria muito do filme!

Muitas cenas eram iguais as do filme, com os mesmos diálogos, quando a Elsa fica presa e a Ana a chama pra brincar, quando a Ana acorda no dia da coroação... e tudo o que não é igual é muito bem solucionado no palco.

Os trolls são meio humanos mesmo como se fossem uma “tribo”, e os momentos em que a Elsa perde o controle e vão surgindo as armadilhas de gelo são muito legais e empolgam!


O Olaf e o Sven são um caso á parte!!

São lindooooos e os atores parecem fazer parte daqueles bonecos, o Olaf tem o seu momento “aham porque” e “verão” e tudo muda com a atmosfera de calor, porque durante todo o espetáculo o palco tem aquele ar “frio” de neve.



Já o momento do LET IT GO, que momento incrível, até a luva da Elsa voa como no filme, o palco se transforma, fica maravilhoso, como se fosse realmente um palácio de gelo. Eu fiquei emocionada, cantei e chorei junto com a Elsa, interpretada por Caroline Bowman, a troca de vestido e cabelo também não deixam de ser demais e nesse momento termina o primeiro ato.


Tem músicas exclusivas do musical também, uma que a Elsa canta sozinha e também numa cena extra quando a família do “vendedor” Oaken (que tem a lojinha no meio das montanhas cobertas de neve) saem da sauna e fazem um grande número coreográfico.


Enfim, o espetáculo é lindo e foi muito especial e emocionante poder ter assistido ao vivo de pertinho.