LOGO_Backstage_Musical_NOVO2020_Crachá.

Entrevista com o maestro Rodrigo Hyppolito



Rodrigo Hyppolito é o diretor geral, diretor musical e maestro titular do show “Rock Memory” que terá apresentações no Teatro Opus, em São Paulo, a partir do dia 13 de agosto. Os ingressos já estão à venda.


Maestro, pianista e compositor, é autor de projetos musicais e premiado em inúmeros concursos e festivais de música. Como Maestro/Pianista já trabalhou em diversos musicais como "A Gaiola das Loucas", "Evita", "Fame", "O Rei Leão", "A Madrinha Embriagada", "Nine”, "Antes Tarde do que Nunca", "We Will Rock You", “A Era do Rock”, "Peter Pan” e “Aparecida”. Atualmente é maestro titular do Coral "Vozearte” e da orquestra “Camerarte”.


Batemos um papo com ele sobre seus trabalhos como maestro e sobre o show que vem por aí e você fica sabendo de tudo agora! Confira:


Rodrigo conta pra gente como surgiu seu interesse pela música e como decidiu ser maestro?

Teoricamente comecei a estudar música tarde, aos 12 anos. Até então nunca tinha tido um contato maior com está arte incrível pois ninguém da minha família é do meio. Na época um amigo começou a fazer aulas de piano e quando ia na casa dele, eu via que sua mãe também tocava. Fiquei deslumbrado, entendi na hora que música era algo de outro mundo (e continua sendo até hoje).

Acredito que ninguém tem sua primeira aula de música querendo ser maestro, talvez isso seja algo que vai acontecendo. Aliás, antes de mais nada um bom maestro deve ter uma concepção e uma bagagem da música como um todo muito grande. Deve saber harmonia, história da música, ter seu ouvido muito bem treinado, conhecer de orquestração, tocar ou ter tocado muito bem um instrumento e principalmente ter carisma e tirar o melhor que o seu grupo pode oferecer.


Reger musical sempre esteve nos seus planos? Como esse gênero entrou na sua vida?

Reger música boa é sempre bom! Independente do estilo. E sempre digo que independente de estar regendo, tocando, compondo, se você ama o que está fazendo, já começou bem. A convite de um amigo, também maestro, na época fui chamado para tocar piano em um musical, assim tudo começou. Fiquei encantado com a junção das três artes que no todo se tornam uma só. Música, dança, teatro.


Como foi estudar música nos Estados Unidos? O que você encontrou de diferente do que estudou no Brasil?

Infelizmente o Brasil não investe tanto nesta maravilhosa área, a cultura. A música brasileira por exemplo, é muito rica. No exterior música faz parte da vida do ser humano desde muito cedo, esta é a grande diferença, a valorização desta arte desde cedo. Porém tenho a certeza que "não se faz" um bom músico apenas "estudando fora", um bom músico se faz com muito estudo, paciência e dedicação independente do local que se estuda.


Como é pra você saber que os seus projetos ajudam jovens músicos de alguma forma e realizar sonhos?

Poder ajudar e incentivar colegas da área é extremamente enriquecedor para a alma. Acredito que o maestro deva ter um espírito empreendedor consigo. Comecei a produzir meus próprios projetos há alguns anos e com muita dedicação dei vida a "Hyppo Entretenimento" uma empresa de produção cultural.


Qual o maior desafio em reger um musical? E um show? Há diferença entre eles?

Reger sempre será um desafio. Claro que há diferenças e até mesmo níveis de dificuldade em várias obras. Um dos maiores desafios de reger um musical é o "time".

O maestro deve estar muito concentrado para qualquer coisa fora do lugar que aconteça em uma cena, na dança ou até mesmo na música. Ele deve ter a liderança e rapidez para "sair bem" de qualquer coisa fora do lugar na obra.


Tem algum musical em que você trabalhou que foi o mais complexo ou o mais desafiador?

Sinceramente, tento não colocar algo como mais difícil ou mais fácil. Se algo me parece muito fácil, muitas vezes acho estranho pois o caminho para se "errar, se tornar bobo" está perto. Sempre busco que o fácil se torne difícil e o difícil se torne fácil.

Não tenho um musical mais complexo ou mais fácil que já trabalhei, todos tiveram sua facilidade e sua dificuldade.

O que um jovem estudante de música precisa ter se ele sonha em um dia tocar em uma orquestra de um musical?

Acredito que independente de ser uma orquestra de musical ou não, o jovem estudante de música precisa de muita dedicação, perseverança e amor ao que está fazendo. Quando ele achar que já está bom no que está fazendo, volte e repita tudo 1000 vezes.


De onde surgiu a ideia do “Rock Memory”? Como será esse show? Conta um pouco pra gente.

O Rock Roll sempre esteve presente na minha vida, quando era adolescente também toquei guitarra. Tinha uma banda onde eu era o vocalista e guitarrista, rs. Sempre achei o rock e a música clássica irmãos de alma! Dentre tudo pensei: Porquê não montar um show de Rock com um maravilhoso coral, banda, solistas, maestro?! Unir a música clássica com o rock! O espetáculo conta com o meu querido Coral Vozearte, uma banda de 5 incríveis músicos, solistas, maestro e equipe técnica completa.


Porque todos precisam assistir ao show?

Rock Memory estará em cartaz do dia 13/08 ao dia 22/08, Coral com sessões de sexta a domingo no teatro opus em São Paulo. Se você gosta do bom e velho rock roll não pode deixar de assistir ao espetáculo. Se você não gosta, vá assistir pois sairá gostando! Já imaginou ouvir Queen, Aerosmith, Bon Jovi, Cazuza com um coral de 50 vozes, banda, solistas, maestro?

Pois é, este é o espetáculo Rock Memory! Let's Rock!!


Serviço:

“Rock Memory”

De 13 a 22 de agosto

Sextas e sábados às 20h e domingos às 18h

Teatro Opus – Av. das Nações Unidas, 4777 - Alto de Pinheiros, São Paulo (Shopping Villa Lobos)

Ingressos à venda através do site https://uhuu.com/evento/sp/sao-paulo/rock-memory-9480 ou nas bilheterias do Teatro Opus e Teatro Bradesco, em São Paulo.

Classificação: Livre