LOGO_Backstage_Musical_NOVO2020_Crachá.

Entrevista com Adriano Fanti



O ator Adriano Fanti integrou recentemente o elenco do musical "João e Maria", onde atuou ao lado de um grande elenco infantil e recontou o clássico que fez parte da infância de muita gente. Confira nossa entrevista para conhecer um pouco mais sobre ele e sua carreira:


Como surgiu seu interesse no mundo da arte? Conta pra gente um pouca da sua história.

Acho que esse interesse ja nasceu comigo, haha. Minha mãe conta que a primeira vez que me levou ao teatro, ainda muito pequeno, pra ver um musical dos Smurfs, assisti vidrado, de pé, e aí depois só pensava nisso.

Na pré escola ja fazia todas as peças, mas minha porta de entrada mesmo foi através da tv. Sempre me perguntava como eu podia estar na televisão assim como as crianças que assistia. Tinha pra mim que todas eram filhos dos atores adultos até ver meu vizinho fazendo comercial. Fiquei louco, só pensava nisso e queria fazer também.

A mãe dele passou o contato da agência que por sinal era perto de casa. Meu pais se opuseram à ideia incialmente, então acabei indo à agência sozinho. O plano infalível desmoronou quando disseram que tinham gostado de mim mas que teria que voltar com meus responsáveis- eu tinha 10 anos kk - depois de muito escarcéu, até porque tive que contar pros meus pais que tinha ido a agência escondido, os convenci a me levar. Uma semana depois estava gravando meu primeiro comercial e aí não me seguraram mais hehe.

Logo comecei a fazer cursos de atuação que me levaram ao teatro e aos 14 já estava trabalhando profissionalmente nos palcos.

Os musicais na linguagem Broadway/West End vieram em seguida e fiz alguns dos primeiros que vieram pro brasil. Em seguida me mudei pra Inglaterra pra continuar estudando Teatro Musical já que na época não havia cursos de formação na área ainda. Lá me formei na renomada faculdade de Teatro/Teatro Musical - Guildford School of Acting (University of Surrey), e trabalhei em musicais, TV e cinema por grande parte da minha vida adulta.


Você participou da temporada de João e Maria. Como foi trabalhar com tantos jovens talentos?

Ah, é uma energia única! Crianças! Elas veem o mundo com um olhar menos viciado, mais fresco, o que traz uma espontaneidade ímpar pro processo- todas com muita vontade de fazer. E foi muito bom pegar um pouquinho emprestado deste olhar, até pelo momento que estamos vivendo, além de ver muito delas em mim, justamente por ter começado na idade delas.

Por outro lado, apesar da pouca idade, são preparadíssimas, estão recebendo um treinamento de peso em canto, dança e atuação no Estúdio Broadway da Fernanda Chamma e desde muito cedo já aprendem inclusive a disciplina que nós artistas temos que ter pra sermos bons profissionais.


A história de João e Maria é um clássico conhecido por muita gente. Como foi recontar essa história?

Uma delícia, né? Quase toda criança sonhou com a casa de doces da bruxa, cheia de guloseimas- gente, até as paredes são comestíveis...

De fato é um clássico conhecido por muitos pelo mundo a fora. Amo os irmãos Grimm e seus contos, sempre amei João e Maria e ao mesmo tempo morria de medo da bruxa. Lembro que, apesar de querer devorar a casa, aquela parte que o Joao mostrava um graveto fingindo ser o dedinho dele, pra bruxa não achar que ele ja estava no ponto de assar, me punha muito medo, coisa séria.. haha.

Nossa versão musical tem influencias da opera alemã Hänsel und Gretel (João e Maria) composta em 1893, com texto brilhante de Daniela Stirbulov que também assina a direção junto com Fernanda Chamma, canções de Frederico Silveira, direção musical de William Sancar, coreografia de Mariana Barros. E como se não bastasse, além deste time fera que tenho prazer de conhecer de longa data e de já ter trabalhado antes, também tive o prazer de fazer par com Ivan Parente, como Madrasta/Mãe, que conheço há 20 anos mas com quem nunca tinha contracenado - um desbunde.


O espetáculo foi um dos primeiros a retornar depois da pandemia. Como foi pra você retomar esse contato com o público?

Foi um grande presente que me foi dado por Fernanda Chamma e Daniela Stirbulov. Estavamos prontos a começar a ensaiar em Março e veio a pandemia. Obviamente tudo foi adiado. Entramos em quarentena e o mundo como conhecíamos de certa forma haveria de mudar. Estava em casa já havia meses com pouquíssimo contato com outras pessoas, assim como a maioria trabalhando online, e quando a flexibilização aconteceu, começamos a ensaiar com todas as medidas de segurança. Foi uma felicidade imensa, mas claro, também uma adaptação inicial. Estar rodeado de pessoas novamente, atuar e cantar de máscara, por exemplo, hehe.

Ter tido a oportunidade de estar de volta aos palcos ainda em 2020 foi um privilégio sem tamanho, e pelo qual sou muito grato. Por tudo que isso representa, voltar a ativa, no local sagrado que é o palco, fazendo o que amo, e acima de tudo, levando alegria pra tantos que também estavam em casa, saturados com tudo que temos passado, sonhando em poder ver um espetáculo ao vivo novamente, e ficar mais leves... assim, a sensação é de ter comprido o papel do teatro como nunca... e uma das coisas que acho que ficou latente neste confinamento, mais do que nunca, é importância da arte na vida das pessoas, assim espero...


Você tem algum projeto futuro que pode nos contar sobre?

Sim!! Estou em um projeto online bem bacana. Se por um lado tivemos perdas sem precedentes durante esta pandemia, também fomos convidados a encontrar novas soluçoes e rever inclusive formas de trabalho, quando se pensaria em fazer teatro online? E assim também estreitamos distancias, portanto as industrias teatrais Inglesa e Suíça, nas quais tive o prazer de trabalhar por anos, e que estavam distantes desde que voltei a morar no Brasil, ficaram mais próximas novamente.

Recentemente tive o convite de entrar pra Newsroom Theatre Company, uma companhia de teatro Inglesa, para participar de projetos ja existentes, assim como criar outros, como ator/cantor, alem de escritor e produtor, remotamente e presencialmente quando possível for tanto por conta da pandemia, quanto por conta de outros projetos com os quais eu esteja envolvido aqui no brasil.

Já concomitantemente com João e Maria, comecei ensaios para minha primeira produção como ator e cantor na companhia, participando do musical Suiço The Magic Barrel Organ, uma iniciativa das secretarias de cultura da Inglaterra e Suíça em prol da arte neste tempos de pandemia. O musical será gravado e lançado na Inglaterra em partes próximo ao natal, e ganhará versão para o palco em 2021.

Além disso, estou estudando um script para adaptação para os palcos aqui no Brasil e estaremos de volta com João e Maria no inicio de 2021!! Muito feliz!


Backstage Musical © 2017 - Todos os direitos reservados.