LOGO_Backstage_Musical_NOVO2020_Crachá.

A Hora de Remexer Muito de novo




Sejamos sinceros, quem estava acostumado a assistir musicais nos teatros, sejam infantis, adultos, ou sem uma idade específica, estava impaciente pelo tal retorno das atividades culturais. Aquela sensação, a preparação, a espera no hall, observando as demais pessoas que estavam ali, empolgadas para assistir o mesmo espetáculo que você... Isso tudo estava fazendo falta aos mais devotos. E agora, quase que dois anos, as coisas parecem... PA-RE-CEM estar voltando ao normal, e não em melhor estilo.


“Madagascar” (o filme), chegou aos cinemas em 2005, numa história sobre amizade, aceitação de diferenças, sonhos e vida animal. Era uma comédia divertida da Dreamworks, que colocava o Leão Showman (show-lion) ALEX como o centro das atenções do zoológico de Nova Iorque, junto com seus amigos, a zebra Marty, a Girafa hipocondríaca Melman, e a hipopótamo Gloria. Tudo vai bem até que, durante uma fuga de Marty, eles acabam pegos e são mandados para a ilha de Madagascar, na África, e precisam ajudar a um bando de lêmures, reinado pelo excêntrico e divertido Rei Julien, contra as Fossas, os mamíferos mais predadores da ilha. Enquanto isso, o quarteto novaiorquino precisa também encontrar uma maneira de voltar para casa, quer dizer, pelo menos parte dele deseja isso...


Uma história dessas, cheia de cenários deslumbrantes poderia muito bem ser um fiasco quando transpassada para os palcos, porém, após o sucesso em São Paulo, Alex e cia chegaram ao Rio de Janeiro desde o dia 8 de outubro , mais precisamente ao Teatro Multiplan, no Village Mall, para uma temporada de recomeços, desafios, e claro muita alegrias para as crianças e os adultos que assistiram ao desenho na época de seu lançamento, nos cinemas.


O espetáculo foi produzido inicialmente pela Dreamworks Theatrical, com roteiro de Kevin Del Aguila, com músicas originais de George Noriega e Joel Someillan. E aqui em solo carioca, se apresenta com um elenco indescritível, que se superam em atuação e voz! Temos Leonam Moraes como Alex; José Diaz como Marty; a estupenda Thalita Pertuzatti, com sua voz linda e forte, fazendo digna sua fama de Whitney Houston brasileira, como Glória; Rhuan Santos como Melmann; e ainda Giovanna Sassi como o Pinguim Capitão; e Leonardo Rocha, Estevão Souz e Léo Araújo, respectivamente como o exército de pinguins, Rico, Kovalsky e Recruta., fazendo uma manipulação de bonecos genial, e que ainda sim, com suas expressões, se tornam parte dos bicudos, e se dividem no coro em outros números musicais.


Mas não para por aí, pois, pelo menos para mim, meu personagem preferido em Madagascar, em qualquer um dos três filmes, sempre foi o grande, espalhafatoso, afetado e egoísta Rei Julien, e parece que, o tempo todo, o personagem foi feito para o ator Tauã Delmiro. Tauã entra de um jeito como Julien, misturando tiques e vozes diferenciadas da usada na dublagem genial de Guilherme Briggs nos cinemas, para criar um Rei ao seu modo, mas sem perder os trejeitos deste personagem que é a alma da ilha. Quando entra em cena, e principalmente no seu número musical, do sucesso “Eu Mexo Tudo Tudo”, Delmiro se torna mais uma ponta da estrela junto do elenco que vem junto.


Grandiosos também são os atores que compõem o coro, e interpretam alguns outros personagens pela história, e seria até uma deselegância minha não citá-los. São nomes como Martina Blink, Amanda Döring, Danilo Santana (que interpreta Maurice, o inseparável serviçal do Rei Julien), Luiza Francabandiera, Bia Passos e Leandro Massaferri. A energia entre eles, seja em qual for o personagem é visível, é gritante, e eletrizante. É notável que todos ali estão muito à vontade em cena e, além disso, se divertindo conforme a história vai se desenvolvendo. E isso com certeza se deve à direção de Marllos Silva, que deixa os atores criarem suas versões dos personagens, mas sem se afastar tanto do que representam nos filmes. A história é bem parecida com a do longa, e ver as cenas ali, num cenário colorido, grandioso, que se divide entre projeções e artefatos, faz de “Madagascar” um programa inesquecível, ainda mais nessa fase de retorno já citadas lá em cima.


Então, se ainda está escolhendo qual seria o programa que te traria de volta aos teatros, aquele que valeria à pena, a dica é “MADAGASCAR – UMA AVENTURA MUSICAL”, com produção da Touché Entretenimento, dirigida pela Renata Borges, que teve garra para montar um espetáculo desta grandiosidade neste período, enfrentar as dificuldades que poderiam ser encontradas, e nos brindar com uma história divertida, emocionante, e que até quem não viu os longas, irá se encantar, mexer e remexer muito!


Por Fael Velloso


Serviço

Madagascar, Uma Aventura Musical

Temporada - de 08 de outubro a 28 de novembro

Local - Teatro Multiplan

Endereço - Av. das Américas, 3900 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro

Horário - quintas-feiras e sextas-feiras às 18h, sábados e domingos às 14h e 18h

Ingressos - de R$ 40,00 a R$ 320,00