LOGO_Backstage_Musical_NOVO2020_Crachá.

5 filmes musicais antigos que vale a pena assistir


Com origem no teatro, os musicais surgiram durante a transição do cinema mudo para o sonoro na década de 1920. Foram responsáveis por uma nova fase na indústria de Hollywood, EUA, conhecida como a Era de Ouro dos Musicais.

O gênero teve início com "O Cantor de Jazz" (1927), primeiro filme sonoro. Após isso, os musicais cresceram cada vez mais e tiveram destaque nas premiações logo nos primeiros anos.


O Mágico de Oz (1939) O clássico "O Mágico de Oz" foi lançado em 1939. Apesar de não fazer muito sucesso nas bilheterias na época, foi aclamado entre os críticos e reuniu seis indicações ao Oscar. Hoje considerado cult, o musical possui "Over The Rainbow" na trilha sonora, considerada pelo American Film Institute uma das melhores músicas tocadas em filmes. O filme possui uma atuação memorável de Judy Garland como Dorothy, quem, junto ao Espantalho (Ray Bolger), Homem de Lata (Jack Haley) e Leão Covarde (Bert Lahr), sai em uma jornada em busca do Mágico de Oz.


Uma Noite na Ópera (1935) O musical da Metro-Goldwyn-Mayer mudou a maneira de Sam Wood fazer filmes, e essas transformações logo fizeram sucesso. Com 12 números musicais, "Uma Noite na Ópera" (1935) mostrou os Irmãos Marx - personagens conhecidos na época - de maneira mais refinada e menos encrenqueira. A história conta sobre um agente de negócios e dois amigos que tentam ajudar dois cantores de ópera a se tornarem bem-sucedidos. Não são bem aceitos como tenores, e, para ajudar, os Irmãos Marx vão tentar humilhar e eliminar o concorrente com palhaçadas e brincadeiras.


Cantando na Chuva (1952) "Cantando na Chuva" é um dos filmes mais conhecidos e queridos pelo público, e possui 100% de aprovação no Rotten Tomatoes e nota 99/100 no Metacritic. Foi dirigido, coreografado e estrelado por Gene Kelly, um dos maiores nomes dos musicais norte-americanos. A produção mostra a transição do cinema mudo para o falado em Hollywood por meio de Don Lockwood (Gene Kelly) e Lina Lamont (Jean Hagen), atores que precisam enfrentar os desafios das novas maneiras de fazer filmes para manter a fama conquistada.


Sinfonia de Paris (1951) O musical chama atenção com um número de dança de 16 minutos, chamado "An American in Paris", apresentado por Gene Kelly e Leslie Caron. "Sinfonia de Paris" ganhou seis estatuetas do Oscar em 1952 - incluindo Melhor Filme - e possui "Is Wonderful," "I Got Rhythm," "I'll Build a Stairway" como destaques da trilha sonora. Após lutar pelo exército norte-americano na Segunda Guerra Mundial, um soldado resolve recomeçar a vida como pintor em Paris. Ele se apaixona por Lise Bouvier (Leslie Caron), quem está noiva de outro homem e, agora, precisa disputar o amor dela.


Os Reis do Iê, Iê, Iê (1964) "Os Reis do Iê, Iê, Iê" foi o primeiro filme realizado pelos Beatles e, junto à produção, foi lançado um disco com o mesmo nome - "A Hard Day's Night". O longa conseguiu duas indicações ao Oscar e divulgou ainda mais a carreira do Fab Four. O filme mostrava os Beatles- Paul, John, George e Ringo - lidando com compromissos profissionais enquanto buscavam se divertir ao máximo.