LOGO_Backstage_Musical_NOVO2020_Crachá.

“Elizeth A Divina_ o musical” em única apresentação no Teatro J. Safra com transmissão online


Um musical com a missão de resgatar a memória de uma das maiores intérpretes da música brasileira: Elizeth Cardoso. Após ser sucesso de público e crítica na cidade do Rio de Janeiro e render à atriz Izabella Bicalho o Prêmio FITA de melhor atriz, além de indicações aos prêmios APTR e Cesgranrio de melhor espetáculo, “Elizeth A Divina_ o musical” chega a São Paulo para única apresentação no Teatro J. Safra em formato online, no dia 17 de abril.

Peça de Izabella Bicalho, com direção de Sueli Guerra, supervisão de João Fonseca e direção musical de Tony Lucchesi, conta momentos marcantes da história da cantora Elizeth Cardoso, seus grandes encontros com amigos, parceiros históricos, as suas paixões e seus shows. Um espetáculo que transborda força poética através da música, do humor, da elegância e carisma, marcas registradas da personalidade da artista. Além de ser a dramaturga do espetáculo, Izabella Bicalho interpreta Elizeth Cardoso, acompanhada pelos atores Cilene Guedes, Jefferson Almeida, Dennis Pinheiro e pelos músicos Tony Lucchesi (piano, direção musical e arranjos), Pedro Henning (violão e contrabaixo) e Thiago Faria (bateria e percussão).


A cantora Elizeth Cardoso ao longo de 4 décadas emocionou plateias por todo o Brasil e exterior, com sua voz emocionante e seu timbre único. Foi a primeira cantora negra a fazer sucesso, foi uma das musas da Bossa Nova, foi a primeira cantora popular a se apresentar no teatro municipal. Além de ter a grande sensibilidade de enxergar os novos talentos e lançar para o sucesso importantes compositores como Paulinho da Viola e Cartola. Uma grande artista bem à frente do seu tempo.


Inspirado no livro biográfico da artista, “Elizeth Cardoso, uma Vida”, de Sérgio Cabral, o texto de Izabella Bicalho é fruto também da profunda pesquisa ao acervo de Elizeth Cardoso, adquirido pelo Instituto Moreira Salles em 2003, de depoimentos de amigos próximos, como Hermínio Bello de Carvalho, e do neto Paulo César, que conviveu intensamente com a cantora - da infância até os 15 anos - quando em seus braços Elizeth deu o último suspiro.

A cena se passa no Camarim do teatro João Caetano, numa tarde de verão, quando uma chuva torrencial inundou o Rio de Janeiro. Dentro do teatro estão Elizeth com sua banda do Zimbo trio, Jacob do Bandolim com seu conjunto, Época de Ouro, e seu amigo, diretor musical e idealizador do show, Hermínio Bello de Carvalho, amigo íntimo da cantora. Ainda está com ela sua amiga do peito, Eneida de Moraes - importante jornalista da época. Todos estão apreensivos com a possibilidade de cancelamento do show devido às inundações. Nas conversas de camarim, memórias vêm à tona, e momentos importantes da vida íntima da cantora vão sendo revelados ao público. No repertório, estão canções clássicas da MPB, sucessos da cantora que foram muitas vezes especialmente compostos para ela por Ary Barroso, Cartola e Vinicius de Moraes, entre outros.



Repertório musical (em ordem alfabética): Apelo (Vinicius de Moraes e Baden Powell), As Praias Desertas (Tom Jobim), Barracão de Zinco (Luiz Antonio e Oldemar Magalhães), Camarim (Cartola e Hermínio Bello de Carvalho), Canção da Volta (Antônio Maria e Ismael Neto), Canção de Amor (Elano de Paula e Chocolate), Canção do Amor Demais (Vinicius de Moraes e Tom Jobim), Carinhoso (Pixinguinha), Chão de Estrelas (Orestes Barbosa e Sílvio Caldas), Cidade Vazia (Baden Powell), É Luxo Só (Ary Barroso), Feitiço da Vila (Noel Rosa), Ingênuo (Jacob do Bandolim e Hermínio Bello de Carvalho), Isso Aqui É o Que É (Ary Barroso), Jamais (Jacob do Bandolim), Leva Meu Samba (Ataulfo Alves), Manhã de Carnaval (Luiz Bonfá e Antônio Maria), Meiga Presença (Otávio de Moraes e Paulo Valdez), Mulata Assanhada (Ataulfo Alves), Naquela Mesa (Sergio Bittencourt), Nossos Momentos (Luiz Reis e Haroldo Barbosa), Olhos Verdes (Vicente Paiva), Serenata do Adeus (Vinicius de Moraes) e Todo Sentimento (Chico Buarque e Cristóvão Bastos).


Serviço: Teatro J. Safra Genêro: Teatro Musical Classificação etária: livre Duração: 100 minutos Dia: 17 de abril de 2021, sábado, às 20h Valor do ingresso: R$40,00 Link para compra: https://www.eventim.com.br/artist/elizeth-adivina/


Ficha Técnica: Idealização: Izabella Bicalho Dramaturgia: Izabella Bicalho Direção: Sueli Guerra Direção Musical: Tony Lucchesi Elenco: Izabella Bicalho, Cilene Guedes, Jefferson Almeida e Dennis Pinheiro Músicos: Tony Lucchesi (piano), Thiago Faria (violão e contrabaixo) e Pedro Henning (bateria e percussão) Cenário: Nello Marrese Figurino: Reinaldo Elias Iluminação: Paulo Cesar Medeiros Visagismo: Lucio Matias Produção executiva: Flávia Primo Direção de produção: Daniela Santos Assistente de produção: Fernanda Barichello Patrocínio: SKY Realização: Baile Soluções Culturais Co-Produção: Ibproduções e Primo 88 Produções Identidade Visual: Julliana Della Costa Marketing: Criação Cultura Assessoria de Imprensa: Pombo Correio


Sobre IZABELLA BICALHO Com mais de 40 anos de carreira, a atriz Izabella Bicalho, indicada melhor atriz pelos prêmios Shell, Aptr, Cesgranrio, Contigo e Prêmio Bibi Ferreira, vem na última década se destacando no cenário dos grandes musicais do teatro brasileiro. Entre eles produziu e protagonizou o musical Gota D’água, direção de João Fonseca. Estrelou em montagens de sucesso como: Tim Maia – o musical, Bilac Vê estrelas, O beijo no asfalto - o musical, Era no tempo do rei e Sambra - 100 anos de samba. Também foi dirigida por Miguel Falabella em South American Way e Império, e por Ney Matogrosso no emocionante musical Somos Irmãs. Na televisão, quando criança encantou interpretando Narizinho, no Sítio do Pica Pau Amarelo. Depois seguiu sua carreira atuando em novelas da Rede Globo, tais como: Sangue Bom, Ti Ti Ti Remake, Negócio da China, História de Amor, Pacto de Sangue, Roque Santeiro, Sétimo Sentido, Água Viva. Nas minisséries: Capitu, Hoje é dia de Maria, O Memorial de Maria Moura e Anos Dourados. Nas séries: Mulher, A Vida como Ela é, O Caçador e Homens são de Marte. Em 2020, estára no ar na novela ``Genesis'', próxima novela da Record. Em 2016 esteve no elenco de ON LINE, espetáculo de Paulo Gustavo, posteriormente o musical em homenagem a uma das maiores cantoras brasileiras, Elizeth Cardoso, o musical Elizeth A Divina, em que assinou o texto da obra lhe rendendo o prêmio FITA de Melhor atriz. Seguido de Cássia Eller - O Musical com direção de João Fonseca e Isso que é amor o Musical, com direção de Ulysses Cruz. Izabella está no elenco da nova novela da Record, “Genesis''.