top of page
LOGO_Backstage_Musical_NOVO2020_Crachá.

Clube da Esquina - Os Sonhos não Envelhecem estreia este mês em SP


Foto: Leo Martins


Inspirado no primeiro LP duplo do Brasil, apresentado em 1972, considerado o melhor disco brasileiro de todos os tempos que está completando 50 anos, Clube da Esquina ganhou a sua versão musical.

“Um espetáculo sobre amizade e um movimento artístico que entrou para história. O Clube da Esquina trouxe um som inovador, transformador e conseguiu juntar em suas músicas diversas referências, de diferentes partes do Brasil e do mundo, e fazer algo bem distinto do que era produzido musicalmente na época. Clube da Esquina – Os Sonhos Não Envelhecem é um musical brasileiro que também mostra a história de nosso país”, detalha o diretor Dennis Carvalho – de 74 anos – em seu primeiro trabalho depois de deixar a TV Globo, onde dirigiu várias novelas durante 40 anos.


Baseado no livro “Os Sonhos Não Envelhecem – Histórias do Clube da Esquina”, de Márcio Borges, o musical foi idealizado pelas coprodutoras Buenos Dias e MRG e tem o Grupo Prisma como produtor associado. A superprodução, naturalmente, inicia sua temporada em Minas Gerais, onde tudo começou há quase 60 anos atrás. A estreia foi no dia 19 de agosto, no SESC Palladium, em Belo Horizonte e em São Paulo acontece a partir de 28 de outubro no Teatro Liberdade.


O musical mostrará a potência da canção mineira, fundamental para construção da identidade de nosso país e de nossa cultura. O Clube da Esquina é respeitado mundialmente como um dos mais importantes movimentos artísticos dos últimos tempos.


Responsável pela adaptação e dramaturgia do livro de Márcio Borges, Fernanda Brandalise, de 27 anos – a mesma idade dos jovens retratados na peça -, busca ser o mais fiel possível à história dos músicos: “Clube da Esquina – Os Sonhos Não Envelhecem é sobre um grupo de jovens, em Minas Gerais, que sonhava em mudar o mundo com música. Contaremos, no palco, como surgiu o Clube da Esquina. Falaremos sobre amizade e poesia, fruto da esperança inabalável de que a arte pode transformar o mundo em algo melhor.”


Assim, a ditadura militar, a evolução musical e a amizade de Milton (Tiago Barbosa), Wagner Tiso (Vitor Novello), Fernando Brant (Daniel Haidar), Lô Borges (Cadu Libonati), Márcio Borges (Rômulo Weber), Ronaldo Bastos (Gab Lara)e Beto Guedes (Tom Karabachian), integrantes do movimento, estão presentes nos 120 minutos do musical. Tiago Barbosa, o Milton do espetáculo, vem despontando como um dos grandes nomes do teatro musical – ele concorre inclusive ao Prêmio Broadwayworld Spain como melhor ator pelo musical “Kinky Boots” e também já foi preparador vocal e atuou no grupo Nós do Morro. Radicado na Europa, ele está de volta ao Brasil por causa do Clube da Esquina.


“De todos os planos que eu havia traçado nesse exato momento e contexto social, não havia melhor oportunidade para regressar: Milton Nascimento merece esse valor e destaque! Está sendo um privilégio contar essa história e fazê-la conhecida para novas gerações. Sinto-me honrado por representar esse cara de voz ativa, que reuniu pessoas incríveis naquela época, Milton Nascimento sempre foi um guerreiro”, diz Tiago.

O elenco foi escolhido em etapas online e presenciais. As audições receberam atores e atrizes de todo o país, sendo 16 selecionados para o musical. São inúmeros personagens em cena, todos reais: além de Milton, Lô, Márcio Borges, Beto Guedes, Fernando, Ronaldo e Wagner Tiso, Marilton Borges (Léo Bahia), Toninho Horta (Oscar Fabião), Salomão Borges (Rafael de Castro), Maricota Borges (Marya Bravo), Robertinho Silva (Guilherme Ferraz), Naná Vasconcelos (Celso Luz), Duca Leal (Eline Porto), Elis Regina (Elá Marinho) e a atriz francesa Jeanne Moreau (Ana Elisa Shumacher), também participam.


Na banda há seis instrumentistas, dirigidos musicalmente por Alexandre Kassin, que buscou respeitar a essência dos arranjos originais. Para o espetáculo foram escolhidas 25 canções, entre elas, as icônicas “Cais” (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos), “Para Lennon e McCartney” (Lô Borges, Márcio Borges e Fernando Brant), “Trem Azul” (Lô Borges e Ronaldo Bastos) e “Tudo que Você Podia Ser” (Márcio Borges e Lô Borges), “Clube da Esquina” e “Clube da Esquina 2”, dentre outras. “Poder desvendar os detalhes dessas canções maravilhosas e mergulhar nessas harmonias é um prazer e um desafio”, conta Kassin.


A equipe criativa do musical é grande e faz parte da história do teatro e do audiovisual brasileiros: Alexandre Kassin (Diretor Musical) Maneco Quinderé (iluminador); Marília Carneiro (figurinista); Keller Veiga (cenógrafo); Vanessa Veiga (diretora de elenco); Olivia Ferreira e Pedro Garavaglia, do Estúdio Radiográfico (design e videografismos), só para citar alguns.

Para reconstruir a época, 1972, a fachada do edifício Levy, no centro de Belo Horizonte, onde moravam a família Borges e Milton Nascimento, no início dos anos 60, será́ um dos panos de fundo do espetáculo, que possui 31 cenários criados por Keller Veiga. “Tudo é contrarregrado ou coreografado e se transforma aos olhos do público. No palco, também haverá um telão mostrando registros documentais da época”, adianta Keller. Os figurinos de Marília Carneiro também são uma atração à parte. “Vou usar muitos acessórios como bonés e echarpes na maioria dos personagens. O do Milton terá muitas trocas de roupa porque ele passou por muitas fases. Dennis me pediu para repetir um figurino de ‘Elis – A Musical’, para homenagearmos a cantora”, entrega Marilia.

Em 2013, aliás, Dennis dirigiu “Elis – A musical”, com os mesmos 3 produtores de Clube da Esquina – Os sonhos não envelhecem, Márcia Dias (Buenos Dias), Marilene Gondim (MRG) e Fernando Campos (Grupo Prisma), que na ocasião, era sócio de outra produtora. “‘Elis’ mudou a minha vida. Dizem que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, mas estou sendo uma feliz ‘vítima’ desse lugar incomum. Elis e Milton são o meu Clube da Esquina. Vai ser o máximo”, promete o diretor.


CLUBE DA ESQUINA – OS SONHOS NÃO ENVELHECEM

TEATRO LIBERDADE (900 lugares)

Endereço: R. São Joaquim 129, Liberdade

Temporada: 28 de outubro a 18 de dezembro de 2022 (quinta a domingo)

Dias e Horários: quinta, sexta e sábado às 21h; domingo às 19h

Ingressos: Plateia Premium: R$ 240,00 Plateia A: R$ 220,00 Plateia B: R$ 75,00 Balcão A: R$ 75,00 Balcão B: R$ 75,00

Duração: 120 minutos, com 15 minutos de intervalo.

Classificação Indicativa: 12 anos.

Vendas: bilheteria do Teatro Liberdade e no site SYMPLA


FICHA TÉCNICA

DIREÇÃO: DENNIS CARVALHO

TEXTO ORIGINAL: MÁRCIO BORGES

TEXTO ADAPTADO: FERNANDA BRANDALISE

DIREÇÃO MUSICAL: ALEXANDRE KASSIN

PREPARAÇÃO VOCAL: CLAUDIA ELISEU

DESIGNER DE SOM: BRANCO FERREIRA

ILUMINAÇÃO: MANECO QUINDERÉ

FIGURINO: MARÍLIA CARNEIRO

VISAGISMO: DICKO LORENZO

CENOGRAFIA: KELLER VEIGA

DESIGNER E VIDEOGRAFISMO: OLIVIA FERREIRA E PEDRO GARAVAGLIA

Elenco: Alan Ribeiro, Ana Elisa Schumacher, Cadu Libonati, Celso Luz, Daniel Haidar, Elá Marinho, Eline Porto, Gab Lara, Guilherme Ferraz, Léo Bahia, Marya Bravo, Oscar Fabião, Rafael de Castro, Rômulo Weber, Tiago Barbosa, Tom Karabachian e Vitor Novello.

Assessoria de Imprensa Nacional: Barata Comunicação e Dobbs Scarpa

Produção Executiva Local: Põlobh (Vanessa Fonseca)

Assessoria de imprensa São Paulo – Morente Forte Comunicações

Comentarios


bottom of page