#QuarEntretendo com Vitor Rocha

14/4/2020

 

Em mais um dia vivendo a pandemia o Backstage Musical quer contribuir para que a sua quarentena seja produtiva ou ao menos divertida. E pensando nisso pedimos ajuda para alguns artistas que a gente ama, para darem boas ideias para vocês! 

 

No #QuarEntretendo de hoje vamos falar daqueles filmes imperdíveis que você precisa assistir. Pois se tem uma coisa boa de se fazer em casa, jogado no sofá, é ver um bom filme, não é mesmo?! E para te ajudar com isso, o Backstage Musical convidou uma pessoa que está assistindo muitos filmes nessa quarentena, o talentosíssimo Vitor Rocha, que separou uma lista de 5 filmes indispensáveis para essa quarentena.

 

Vitor Rocha é ator, escritor, cantor, diretor e professor de teatro. Escreveu, atuou e dirigiu “Cargas D'Água - Um Musical de Bolso” que lhe rendeu diversas indicações a prêmios de teatro (além de ter sido montado em Londres e NY) e também o consagrou como o primeiro autor a receber um Prêmio Bibi Ferreira, na categoria revelação. Em 2019, estreou seu segundo musical, também de sua autoria: “Se Essa Lua Fosse Minha”, que recebeu quatro indicações ao Prêmio Bibi Ferreira, nas categorias melhor musical brasileiro, melhor roteiro original, melhor atriz e melhor letra e música (categoria na qual Vitor foi vencedor ao lado de Elton Towersey). E no mesmo ano realizou a estreia da montagem profissional de “O Mágico Di Ó - Um Clássico em Forma de Cordel”, onde assinou pela autoria do texto e foi responsável por interpretar o personagem Osvaldo. Em 2020 fará sua estreia no cinema nacional como ator e roteirista no filme ‘O Mágico Di Ó’, produzido e dirigido por Pedro Vasconcelos. Em breve Vitor estreará com um filme feito a distância, gravado on-line, com um texto de sua autoria: “Sobre Todas As Coisas”.

 

E além de indicar, ele ainda comentou um pouquinho sobre cada filme e o porquê você deve assistir. Confira:

 

1 - Jojo Rabbit
“Jojo Rabbit” já levou Oscar e tudo, mas esse não é o meu argumento para te convencer a conhecer essa história linda. Sabe a guerra? Ela é uma coisa bem triste e assustadora. (Tipo a gente sendo obrigado a se trancar em casa por conta de uma doença, né?) Mas com muito bom humor, sensibilidade e carisma, até mesmo coisas ruins assim podem nos revelar a beleza escondida da vida. Jojo é um menino doce e dono de uma poesia singular que vive na época da segunda guerra mundial e é um verdadeiro fã de Adolf Hitler (tendo-o inclusive como um amigo imaginário, sério!). Contraditório? Muito! A genialidade do filme, pra mim, está justamente em não ser óbvio e capaz de arrancar lágrimas e sorrisos de momentos simples e inesperados. É um filme recente, mas que entrou rapidinho pra minha lista dos preferidos da vida! Roman Griffin Davis arrebenta como o personagem título e a trilha sonora é do Michael Giacchino, um dos meus compositores favoritos (o mesmo cara que escreveu aquela música que dilacera o nosso coração em “UP!” da Pixar.). Ah, e no fim tem um poema de Rilke que é a cereja do bolo! 

 

2 - A Vida é Bela
Sim, outro filme de guerra, mas com uma abordagem bem diferente. Um clássico do cinema italiano que me marcou pela grandiosidade do título e da história quando eu era mais novo - desde então eu assisto quase todo ano. O Guido, um judeu, e seu filho, Giosué, são levados para um campo de concentração nazista. Afastado da mulher, ele começa a usar a imaginação para fazer o menino acreditar que tudo aquilo não passa de grande brincadeira, um jogo, com o intuito de protegê-lo dos horrores que os cercam. Digamos que ele faz pro filho, o papel que todos nós artistas estamos tentando fazer no meio dessa loucura toda, né? (risos) Algumas cenas são de assistir suspirando e a fala “buongiorno, principessa” vai ficar marcada no seu coração pra sempre assim como ficou no meu, eu tenho certeza! 

 

3 - O Fabuloso Destino de Amelié Poulain
Esse filme francês pra mim é um daqueles filmes que todo ser humano precisa assistir na vida, porque é quase que um lembrete que diz: vai viver, raios! É uma junção de minúcias sensíveis e bem pensadas que tratam justamente sobre como a vida se encontra nos detalhes, sobre como são os pequenos momentos que tornam a vida grandiosa. É um enredo simples, porém contado da melhor maneira possível. Amelie é uma jovem do interior que se muda pra Paris, trabalha em um café e leva uma vida comum até o dia em que encontra uma caixa esquecida há muito num buraco da parede do seu apartamento. Olhando aquela velharia e pensando que pra alguém aquilo um dia foi um tesouro ela decide procurar o dono e faz a si mesma uma promessa que eu acho a coisa mais linda do mundo. A trilha icônica do Yann Tiersen e a fotografia do filme são uma obra-prima à parte! 
BÔNUS: vale também conhecer o musical “Amélie” que flopou bonito, mas eu adoro!

 

4 - Peixe Grande
No meio de tanta vida real - por mais mágica que ela seja - acho que também precisava deixar aqui alguma fantasia, então vamos de “Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas” do Tim Burton. Uma adaptação linda do livro do Daniel Wallace com Ewan McGregor e Jessica Lange brilhantes em cena! A história conta - dentre muitas outras - a história do William, um jornalista que percebe não conhecer a história real do próprio pai por conta dos inúmeros exageros que este inseria nas memórias sempre que falava delas. A capacidade do pai de imaginar muito nunca foi uma característica admirada pelo filho até que ele decide investigar e entender essas histórias. Lúdico, poético e com mensagens bem importantes, é um filme pra toda família que estiver no isolamento assistir junto e reparar como é fácil encontrar encanto em tudo a nossa volta se soubermos usar um pouquinho de criatividade e muito amor! Destaque pra cena do circo e das flores - além de serem minhas preferidas - elas são um deleite pros olhos.
BÔNUS: esse é outro flop da Broadway que eu gosto sem culpa! Ouve o álbum no Spotify e me diz se não merecia uma montagem no Brasil?

 

5 - Os Batutinhas
Um filme bem sessão da tarde porque a gente precisa disso também! É um clássico dos clássicos, então eu acredito que todo mundo já assistiu, mas indico porque VAI QUE tem algum desavisado que não conhece a senha pra entrar no clubinho, né? Quando eu era pequeno, esse era um dos filmes que mais me divertia. Eu assistia com todos os amigos mil vezes, morríamos de rir e sempre saíamos querendo construir carrinhos de corrida e clubes secretos. Se liga na história: um grupo de amigos criam um clube com uma regra: nada de meninas! Mas fica um pouco difícil pro doce Alfalfa obedecer a essa única regra depois de conhecer Darla, o amor da sua vida. Então, os outros membros do clube não gostam nada dessa história e identificam uma missão: acabar com esse romance antes que eles percam seu amigo Alfalfa. Uma comédia à lá “O Pestinha” e “Esqueceram de Mim” com muita fofura e risada garantida! O filme tem a participação mega especial da Whoopie Goldberg e também do atual presidente dos EUA. Quando eu assisti mais velho percebi que não curto muito Donald Trump há mais tempo do que eu pensava…

 

E aí, gostaram?

Please reload