6 Motivos Para Aguardar Ansioso Charlie e A Fantástica Fábrica de Chocolate

13/4/2020

 

O musical “Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate” foi mais um dos afetados pela pandemia da COVID-19. Não teve jeito: em cumprimento ao decreto municipal e como medida de segurança e saúde para o público, elenco e equipe criativa e técnica, o musical que já estava com estreia marcada para dia 19 de março, estava nos preparativos finais e prometendo uma temporada divertida, cheia de cores e muito talento! 

Na expectativa de conferir a produção do Instituto Artium de Cultura, o Backstage Musical lista alguns motivos pra você renovar esperança e já agendar um compromisso IMPERDÍVEL pós isolamento social!

 

1. Clássico Infantil
SIM! Esse é musical baseado nos filmes “A Fantástica Fábrica de Chocolate”, tanto a versão com Jhonny Depp e Freddie Highmore em 2005, como a versão original de 1971 com Gene Wilder. Mas, antes de ser filme a saga dos bilhetes dourados tinha conquistado as crianças pelo livro de mesmo nome escrito pelo britânico Road Dahl em 1964. Pra quem não sabe, ele é o mesmo autor de histórias como “James e o Pêssego Gigante”, “BFG - O Amigo Gigante” e “Matilda”. Ou seja, uma coleção de mundos fantasiosos que vem sendo contado por gerações e agora, você poderá ver (em breve) no Teatro Alfa.

 

2. A Melhor Versão
A versão musical dA Fábrica estreou em Londres em 2013 sob produção da Warner Bros Theater Ventures. No entanto, apesar de ter virado um sucesso para público familiar, a trilha do musical não tinha as músicas do filme que já eram conhecidas pelo público. Quando estreou na Broadway em 2017, ele agregou os clássicos “Candyman” e “Pure Imagination” e teve seu texto revisado, com referências às mídias sociais e ainda assim, bem próximo do filme. Para o Brasil, já deu pra perceber pelos vídeos nas redes que teremos as músicas do filme, garantindo uma boa dose de nostalgia pra todos.

 

3. Mais uma vez, é a MELHOR versão
Se teve uma coisa que não funcionou muito na Broadway foi uma alteração no elenco: as crianças que visitavam a fábrica eram todas interpretadas pelo elenco adulto do musical, apenas o protagonista Charlie era vivido por uma criança. A produção brasileira vai repetir o que deu certo Londres e com isso, todas as cinco crianças premiadas com o bilhete dourado deram interpretadas por atores mirins! 
E a julgar pelos talentos presenciados nos últimos anos pelos pequenos artistas nos palcos de São Paulo, a gente já pode dizer que a escolha foi acertada. Nomes como Pedro Sousa, João Pedro Delfino, Felipe Costa, Luísa Bresser, Isabella Daneluzz e Nina Medeiros já são conhecidos do público e se juntam com outras tantas carinhas novas que prometem mais uma vez fazer lindo no palco. São ao todo 15 crianças dívidas em três elencos diferentes, ou seja, pode agendar três visitas pra Fábrica que vale a pena.

 

4. O Elenco
Quando sai a lista do elenco de um musical, quem é fã de Teatro Musical já começa a criar expectativas. Já falamos que as crianças serão o ponto chave dessa produção, mas o elenco adulto também está super cheio de talentos, 38 atores pra ser mais exato.
Cleto Baccic tem tudo a ver com o protagonista e não dar pra ficar ansioso para vê-lo no papel do excêntrico mestre dos chocolates. Sara Sarres mais uma vez assume uma figura materna e, pra quem conhece a trilha do musical sabe que vai ser emocionante ver a canção “If Your Father Were Here” na voz da atriz. Quem dará vida ao vovô Joe é Rodrigo Mialleret, que depois de viver Maurice em “A Bela e a Fera” e Dr. Victor em “Castelo Ra-Tim-Bum” assume mais um papel família.
E a lista continua: Arizio Magalhães e Lia Canineu como Jerry e Cherry, no time dos pais: Vânia Canto, Guilherme Leal, Talita Real e Tiago Perticarrari, e no times dos avós temos Jana Amorim, Clarty Galvão e Marco Azevedo, além de um ensemble incrível com Sandro Conte, Rodrigo Garcia, Carla Vasquez, Giovanna Zotti, Carol Tanganini, Aline Serra, Della, Danilo Martho, Guilherme Gonçalves, Leonam Moraes e Rany Hilston. 
Não dá pra perder né?

 

5. O toque Brasileiro e os efeitos especiais
A montagem vem de fora, com um história consagrada, a trilha dos incríveis Marc Shaimann e Scott Whitman (Hairspray, Smash), mas a gente sabe que a produção brasileira sempre traz novidades e aquele temperinho (ou seria mais adequado falar, “uma cobertura”?) que traz uma nova vida. O acordo junto a Warner permite que a montagem Brasileira seja feita como não réplica, a primeira vez para essa obra.
A direção fica por conta de John Stefaniuk e na equipe criativa temos Lígia Rocha e Marco Pacheco no figurino, Daniel Rocha na direção musical, coreografia de Floriano Nogueira e visagismo de Feliciano San Roman. Entre as novidades, já deu pra ver um pequeno spoiler dos Oompa Loompas como puppets e com certeza, teremos muitos efeitos especiais pra trazer toda a magia da Fábrica Wonka para o Teatro Alfa.

 

6. Para celebrar o Teatro 
Quando isso tudo acabar, a gente sabe que você vai querer abraçar todo mundo, rever seus amigos, comer algo maravilhoso e com certeza, matar saudades do Teatro. E está aí um bom programa: ir com a família e/ou amigos assistir “Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate”.
Vai ser muito bom poder voltar a frequentar aos teatros e bom saber que teremos muita coisa legal pra assistir. É pra celebrar a vida, a arte, o teatro e tudo de bom. Com um enredo que explora o lúdico e a imaginação, regado à muito humor e uma lição muito preciosa, aprendemos com Charlie sobre ver o lado bom mesmo quando as coisas não parecem ser o mais favoráveis sempre nutrindo a esperança. Seguimos como Charlie Bucket!

Please reload