Entrevista com Gustavo Mazzei

5/9/2019

Foto: Victor Hugo Cecatto

 

Gustavo Mazzei será Edu, no musical "Isso Que É Amor", com canções de Luan Santana, que estreia em São Paulo no próximo dia 13 de setembro.

Confira a entrevista que o Backstage Musical fez com o ator que ganhou destaque ano passado com o musical "Cargas D'Água":

 

 

1. Gustavo este não é o seu primeiro musical brasileiro. Conta pra gente como foi o processo deste espetáculo.

Esse processo foi bem diferente de tudo o que já passei. Estar no comando de Ulysses Cruz e Guilherme Terra é uma experiência bem intensa e prazerosa. Foram muitos dias de trabalho sendo mudado, informações novas aparecendo, mudança de elenco e muitos outros elementos. Porém, tudo isso foi visando com que o espetáculo ficasse cada vez melhor e mais completo. Um trabalho minucioso realizado pelos nossos diretores. Claro que, sendo um musical brasileiro, nós atores nos sentimos muito mais à vontade de realizar nosso ofício. E, também, tivemos um processo criativo um pouco diferente dos musicais tradicionais, com um total de 12 semanas de ensaio. E, nesse período, nós pudemos fazer um trabalho de ator e de interpretação da canção que, geralmente, não é feito em conjunto com os criativos, mas somente pelos atores.


2. Quem é o Edu, seu personagem?

O Edu é o violinista base, braço direito e amigo íntimo do personagem principal: Gabriel Lucas. Sempre está lá para apoiar o amigo e, também, é o compositor de muitas músicas de sucesso dele. Ama tocar o seu violão em companhia do amigo. É um cara um pouco preguiçoso, mas quando está no palco, mostra todo o seu profissionalismo e empenho. Ao contrário do Gabriel, o Edu não tem uma musa inspiradora para suas canções. Nunca tem tempo ruim pra ele. O Sorriso está sempre estampado na sua cara. É um amante da música e da vida que leva.


3. "Isso Que é Amor" é um musical autoral, porém com músicas bastante conhecidas pelo público. Como é contar uma história inédita através das músicas de Luan Santana?

Olha, é um tanto quanto desafiador. Por conta de dois pontos: o primeiro é o de mostrar para toda a classe artística do teatro musical de que as músicas de Luan Santana são sim extremamente teatrais. E o segundo é o de realizar um espetáculo coeso, interessante e que entretenha muito a legião de fãs do músico. Nós sabemos que são eles os maiores apoiadores e aclamadores para a realização do musical, por isso fazemos um trabalho muito voltado para eles. Apesar disso, está sendo prazeroso e muito divertido poder contar um pouco mais de uma história tão romântica quanto essa.


4. Como tem sido o acolhimento dos fãs do cantor e qual a expectativa para a estreia?

Tem sido um acolhimento muito carinhoso. Eles estão muito ansiosos para assistir o musical, por isso ficam sempre comentando fotos e vídeos postados nas redes sociais, com comentários muito animadores e carinhosos. Além disso, nos períodos de ensaio, nós tivemos a presença de algumas fãs do Luan assistindo nossos corridos. E foi um bom feedback que recebemos delas. Percebemos que elas gostaram das escolhas das músicas, se interessaram pela história contada e também se identificaram bastante com as personagens. Com todo esse acolhimento, eu só posso acreditar que a expectativa deles para a estreia é muito grande. Que eles querem muito se emocionar e cantar todas as músicas com a gente


5. Qual a sua relação com a música do Luan? Você já era fã antes do cantor?

Eu me descobri um grande apaixonado pelas músicas do Luan. Durante todo esse período de ensaio, eu pude escutar e estudar mais as letras e ritmos das músicas dele. Todo esse estudo fez com que eu fosse gostando mais de suas músicas. Pude compreender o quanto romântico ele é na sua poesia. O que me fez até estudar no violão as suas músicas e depois cantar com colegas no trabalho. Isso fez com que pequenos preconceitos fossem caindo rapidamente, já que antigamente eu não conhecia muitas das músicas dele. As únicas que eu era mais próximo, eram as músicas que meu irmão Fabrizio cantava. Ele teve uma carreira muito curta no ramo da música sertaneja então, toda vez que tinha ensaio em casa eu escutava algumas músicas. E me lembro do meu irmão cantar poucas do Luan, somente as mais famosas como “Um Beijo”, que acabou sendo uma das músicas da audição.


6. Na peça, o Edu toca violão, na vida real, qual sua relação com instrumentos musicais?

Eu tenho uma relação de paixão platônica com instrumentos musicais. Desde pequeno, o meu pai sempre incentivou a mim e aos meus irmãos, a tocarem. Para isso, ele costumava comprar alguns instrumentos e deixá-los em casa para que a gente aprendesse sozinhos ou com uma pequena ajuda dele. Assim, eu tive contato com instrumentos de corda, de sopro e, principalmente, de percussão, que se tornaram os meus favoritos. Desde então, eu sempre procurei estudar mais e mais. Saber um pouco mais de teoria musical, as escalas musicais e aprender novos instrumentos ainda não tocados.


7. Você já fez trabalhos anteriores que foram até indicados para alguns prêmios, fale um pouco da sua carreira.

No ano de 2014 eu vim para São Paulo para estudar no curso profissionalizante em teatro musical do SESI. Quando me formei, eu já saí empregado pela 4Act Produções para fazer parte do elenco de “A Era do Rock” no Teatro Porto Seguro. Desde lá, eu recebi alguns convites para integrar elencos de outros musicais. Fiz parte de uma montagem acadêmica de “O 25º Concurso de Soletrar”, da montagem profissional de “A Pequena Loja dos Horrores” e para participar da leitura dramática de “Casusbelli”, que foi a oportunidade de conhecer o autor e amigo Vitor Rocha. Assim, ele me fez o convite para integrar o elenco de seu espetáculo “Cargas D’Água – Um Musical de Bolso”, dividindo o personagem Moleque com André Torquato. E essa experiência foi a mais completa da minha carreira até agora. Já que o texto e o personagem me completaram de maneira perfeita e, também, com o nosso trabalho, fomos indicados e ganhadores de prêmios de teatro. Desde então, nós não paramos de apresentar o “Cargas” por teatros de outras cidades e eu procurei evoluir mais as minhas técnicas de canto, dança e interpretação para poder fazer parte de futuras produções musicais.

 

8. Por que todos devem assistir ao musical?

Eu acredito que todos devem assistir o musical para poder ver o quanto as músicas do Luan podem ser extremamente teatrais. E isso nós estamos executando bem no espetáculo. Também, é um texto muito romântico, com músicas lindas, viradas de roteiro e uma atmosfera gostosa. Além disso, eu quero que todos conheçam e se apaixonem um pouco mais pelo Edu!

 

Serviço:   

   

Teatro das Artes - Av. Rebouças, 3970 - Loja 409. Shopping Eldorado – Pinheiros. São Paulo   

Temporada até dia 27 de outubro   

Horários: sexta às 21h, sábado às 18h e 21h30 e domingo às 19h   

Gênero: musical   

Duração: 120 minutos   

Classificação: Livre

Please reload