Lola Fanucchi fala sobre sua personagem na novela Órfãos da Terra

16/5/2019

 Foto: Globo/divulgação

 

Lola Fanucchi, conhecida por seu trabalho em grandes montagens de musicais da Broadway no Brasil, como "Nas Alturas", "Nine, um musical Felliniano", "Ghost" e "Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812", enfrenta agora um novo desafio em sua carreira. No ar desde o começo de abril, ela é a responsável por dar vida para a personagem Muna Al Aud, na novela "Órfãos da Terra", exibida pela Rede Globo, no horário das 18h. 

Conversamos com ela para saber um pouco mais sobre o novo trabalho, confiram:

 

Você fez testes para entrar no elenco da novela? Se sim, o processo foi parecido com o de audições para musicais?

Sim, fiz teste. O processo é bem diferente, porque são meios muito distintos e as habilidades específicas que você precisa para cada um mudam muito. No musical você geralmente faz fases de canto e dança antes de chegar a fazer cenas. Na TV o foco total é a interpretação. Também não tive essa coisa de banca avaliadora, porque o teste é filmado, já que a equipe precisa ver se você funciona naquele contexto de atuação pra câmera. No meu teste, por exemplo, estavam presentes somente a produtora de elenco, o meu diretor geral e o câmera. Sou “novata” na TV, então não posso dizer que é uma regra, mas o clima é mais intimista do que uma banca de musical geralmente é. Fiquei menos nervosa no teste para a novela do que geralmente fico nos de musicais! (Risos)

 

Conte-nos um pouco sobre sua personagem na novela, o que o público pode esperar dela?

A Muna é uma brasileira descendente de libaneses. Ela perdeu os pais ainda cedo, então vive com o irmão mais velho e o avô. Eles tocam a casa de chás da família onde a comunidade árabe se encontra e festeja. Por ser muito ligada à família, ela ajuda o irmão com sua vida amorosa enquanto tenta resolver também as confusões do avô com o vizinho judeu. Nas horas vagas ela dá aulas de dança do ventre! Se Deus quiser - e Jade (personagem vivida por Giovana Antonelli) permitir - vou melhorar na dança! (Risos) Nosso núcleo é maravilhoso! Espero que renda boas risadas ao público! Falamos de temas sensíveis como a questão de palestinos e judeus, mas de maneira leve! A Thelma e Duca (autoras) são brilhantes nessa abordagem. 

  Foto: Globo/divulgação 

 

Sempre foi um sonho seu fazer novelas ou foi uma oportunidade que surgiu de repente?

Não. Por incrível que pareça, mesmo sendo um gênero super popular no Brasil, eu quase não pensava há alguns anos. Eu sou completamente apaixonada pela minha profissão. Eu amo poder contar histórias. Amo pegar uma personagem, ficar íntima dela, defendê-la em cena. Eu sou feliz fazendo isso. Esse era meu sonho! E com muita gratidão posso dizer que essa é minha profissão há alguns anos. A alegria que sinto de viver de teatro todo esse tempo é inexplicável. Sou muito privilegiada. A novela surgiu a partir da vontade de encontrar outros meios onde também pudesse contar histórias! Comecei a estudar a atuação pra vídeo, me encantei e comecei a buscar oportunidades! Eu diria que é uma linda extrapolação de um sonho que já estou realizando há algum tempo.

 

Como está sendo a rotina de gravações? E como é trabalhar com grandes nomes da teledramaturgia brasileira?
Estou naquela vida de ponte aérea RJ-SP. Os cronogramas de gravação saem semanalmente e a gente grava quase todos os dias, porque ritmo de novela é realmente algo acelerado. Mas eu estou amando, né? Disse que sou apaixonada pelo que eu faço, então se deixar eu nem paro! Eu amo trabalhar! Fora que é um GRANDE privilégio estrear ao lado de nomes como Flavio Migliaccio, Mouhamed Harfouch, Osmar Prado, tirando toda a equipe de direção que é, honestamente, um absurdo de competência em todos os quesitos. Parece clichê, mas só de estar lá observando todos eles eu já aprendi mais do que podia imaginar! Vou levar essas coisas para o resto da vida! Ainda é surreal pra mim! Quando assisti à primeira chamada da novela, quase chorei de tão lindo que é o trabalho dessas pessoas! Estou aprendendo com os melhores e sei disso.

 

Esse é o seu primeiro trabalho na TV? Para você, é muito diferente do teatro?
Sim, até hoje tinha feito só teatro. Todos os dias eu acordo e penso: “vamos tentar não ser demitida hoje, Lola!” (Risos), porque é um MUNDO completamente diferente do palco! Acho que essa foi minha maior surpresa! Quer dizer, eu sabia que era diferente, mas não nesse nível! A essência de você viver verdadeiramente situações imaginárias claro que permanece, mas os fatores técnicos externos são absolutamente distintos e influenciam demais na performance! No palco sinto mais controle! No vídeo as coisas são gravadas fora de ordem, você repete várias vezes e precisa manter a energia igual à do primeiro take, todo movimento precisa ser calculado no nível quase milimétrico, tem ângulo certo, luz certa... muita coisa mesmo! Me sinto engatinhando ainda! É empolgante e assustador ao mesmo tempo! Tenho um completo novo respeito por atores do audiovisual! É muito difícil! Nunca mais deixo ninguém criticar nenhuma novela do meu lado!

 

Você pretende focar nessa área agora ou continuar nos musicais?

Eu honestamente não penso em fazer escolhas assim: “ah, agora só faço isso”. Eu gosto tanto dos dois, quero mais é fazer os dois e tudo mais que surgir de interessante no caminho! Quero trabalhar! Quero aprender! São áreas que desenvolvem habilidades tão diferentes! Quero exercitar tudo! Vou fazer o que fizer meu coração bater empolgado! 

 

Qual sua expectativa em relação ao que o público vai achar da trama? 

Estou ansiosa não só pela reação do público, mas pela minha também! Porque a gente grava, grava e não vê nada de como está ficando! Acho que vai ser um segundo momento de muito aprendizado! Vou me julgar, me sentir vulnerável, mas vou aprender muito! Mas acima de tudo o meu maior desejo é que o público receba de coração aberto essa história que fala com tanta delicadeza sobre temas necessários no nosso tempo. É um exercício de empatia que eu espero que toque o maior número de pessoas possíveis!

 

Se você pudesse dar uma dica para quem tem o sonho de atuar em uma novela, qual seria?

Bom, eu não me considero uma grande sábia no tema, mas...Tem uma frase que eu gosto que diz: “o que eu posso fazer pela sorte é garantir que ela me encontre trabalhando”. Acho que isso serve pra quase todos os sonhos! (Risos) Eu fui convidada a fazer o teste para a novela porque meu diretor artístico (Gustavo Fernandez) me viu no palco do teatro. Qual a chance, né? Baixa. Mas aconteceu. Qualquer lugar onde você possa exercitar sua arte, melhorar suas habilidades, vale o investimento do seu tempo! Não adianta a gente torcer para ter a oportunidade e perdê-la quando ela vem! Estude, pratique em casa na câmera do celular, faça selftapes, procure cursos e confie: uma hora a sorte te visita e você a recebe bem! :-)

 

 

Please reload