9 Motivos Para Pegar Carona Nessa Cauda de Cometa

28/8/2018

 

 

 

Em cartaz no 033 Rooftop do Teatro Santander, o espetáculo Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812 traz para os palcos paulista uma revolução na forma que a gente entende o Teatro Musical.

Só isso já é uma ótimo motivo pelo qual esse musical é imperdível, mas se isso não é suficiente para você, listamos nove bons motivos para não deixar de conferir esse espetáculo.

9. UM CLÁSSICO É UM CLÁSSICO, NÉ?

O espetáculo é inspirado em um trecho de 70 paginas do clássico de Tolstói, Guerra e Paz, e narra a história de diversas famílias aristocratas da Rússia. Dando foco, nesse espetáculo, na personagem Natasha, uma jovem inocente, apaixonada por Andrey, mas que é seduzida por Anatol. Apesar do livro ser escrito no século XIX, o texto se comunica com grande harmonia com a linguagem contemporanea proposta pelo espetáculo.

8. DIRETO DA BROADWAY PARA O BRASIL

Esse cometa passou direto de Nova York para o São Paulo. O espetáculo que estreou em 2016 na Broadway, sendo indicado a 12 categorias do Tony Awards, ganha sua primeira montagem fora dos EUA. E essa montagem brasileira promete fazer jus à original, sendo impecável em cada detalhe.

 

 



7. É MUITO NOME PRA DECORAR

Um grande musical sempre precisa de um grande elenco, ainda mais quando é inspirado em uma obra de 1500 páginas, onde tem personagens que não acabam mais (então dá uma estudadinha antes, por favor). E no caso específico do Cometa, é um espetáculo que exige muito do ensemble, que fica quase a sessão toda em cena e traz muita energia a cada momento.

Como destaque do elenco podemos citar Vitor Moresco, que interpreta Balaga,o cocheiro de Anatole, e é responsável por um dos momentos mais eletrizantes do espetáculo.

6. ANATOLE É GATO, HÉLÈNE É VULGAR, DOLOKHOV É BRIGÃO


 

 


Com certeza esse é o núcleo mais divertido do espetáculo, que, inclusive, envolve as músicas e cenas mais animadas. Centrado no personagem de Anatole, um jovem inconsequente, sem responsabilidades, que se diverte conquistando corações. Ele é vivido brilhantemente por Gabriel Leone, que é capaz de nos fazer torcer pelo vilão dessa história.

Um dos momentos mais incríveis do espetáculo é quando Carol Bezerra, que interpreta Hélène (casada com Pierre, irmã de Anatole) canta seu solo Charming. A música por si só já é magnetizante, e Carol consegue deixar ainda melhor em sua voz.

Quem conhece André Torquato por interpretar jovens mocinhos, se surpreende ao vê-lo dar vida, com perfeição, a Dolokhov, um personagem inconsequente, imoral, que vive grudado em Anatole e não perde uma batalha.

5. NATASHA É NOVA, E ESSE TAL PIERRE?

 

 

Bruna Guerin é a paixão de todo fã de musical, ela pode fazer qualquer personagem que sempre é certeza de que será incrível. Com Natasha não poderia ser diferente, a atriz encanta a todos com a doçura de sua personagem, mas é quando canta o seu solo, No One Else, que ela conquista qualquer um.

André Frateschi faz sua estreia no teatro musical interpretando Pierre, e não decepciona. Seu Pierre é profundo e cativante, emocionando com o rumo que o personagem toma ao decorrer do espetáculo.

4. EXPERIÊNCIA GASTRONÔMICA

Um fato sobre o Backstage, é que, além de musicais, a coisa que a gente mais ama é comida. Então não podíamos deixar de aplaudir de pé essa experiência que o musical nos proporciona.

Se passando no universo da Rússia do século XIX, o espetáculo oferece uma experiência completa, sensorial, desse período. E para isso, a sala de espetáculo abre uma hora e meia antes do musical começar, para que o público possa desfrutar e conhecer pratos típicos russos, com o destaque para o estrogonofe russo.

3. MÚSICA

Uma confusão, uma mistureba que dá muito certo: essa é a melhor maneira de descrever esse score. Quem diria que juntar música russa com eletrônica e colocar em um palco de teatro musical pudesse dar em algo inexplicavelmente incrível? Pois deu em uma das coisas mais brilhantes que se passaram pelos palcos da Broadway nos últimos anos.

 


2. IMERSÃO

Sabe aquela história de derrubar a quarta parede? Então, O Grande Cometa não se contenta apenas em derrubar uma parede, e derruba as outras três junto. Não há separação alguma entre plateia e palco, a sala de espetáculo simula um cabaret russo, e o público se senta em mesas, nas quais os atores caminham ao redor e interagem com quem está sentado ali. Quem senta nos balcões a proximidade é ainda maior, você fica aos pés dos atores, eles sentam e deitam ao seu lado, e ainda consegue sentir o palco tremendo nas coreografias mais aceleradas.

1. UM COMETÃO DESSES

A soma de tudo isso dá em uma experiência completamente diferente de tudo o que você já viu no teatro musical. A palavra que melhor descreve o que o espetáculo proporciona é intensidade, causada por uma conexão muito rara e difícil ser encontrada nos palcos, e que vale por cada segundo.

Please reload