#ENTREVISTA Rogério Silvestre fala sobre o musical "Gonzaguinha, o Eterno Aprendiz Eterno"

15/6/2018

 

Gonzaguinha, o Eterno Aprendiz Eterno - Uma versão poética da vida e da obra de Gonzaguinha, retorna à São Paulo, agora no Teatro BTC, onde contará a história de um dos maiores compositores e intérpretes brasileiros. O Backstage Musical conversou com Rogério Silvestre, que dá vida ao cantor no musical, confira:

 

BM: Gonzaguinha era um compositor muito político. O ator acompanha política?

RS: Acompanho e muito, na minha cidade natal que é em Itajubá (MG) sou bem enganjado politicamente, trabalho e defendo muito a parte cultural da cidade, que é bem esquecida pelos governantes.


BM: Gonzaguinha foi conhecido por revolucionar a música no Brasil, buscando influências não só na MPB, mas do regionalismo nordestino. Como ele vê a música brasileira atual hoje?

RS: Infelizmente de uma forma muito negativa, a massa vem sendo incentivada somente com um seguimento musical que aborda temas sem muita relevância e repetitivos, com uma musicalidade muitas vezes banal .Entendo que a música seja um grande instrumento do entretenimento, mas ela tem um papel socio-cultural que esta sendo deixado de lado.


BM: Gonzaguinha foi gravado por muitas pessoas influentes da música, como Elis, Bethânia, Leny Andrade. Chegou a cantar com elas, inclusive, que eram ídolos de uma geração. Como ator, gostaria de trabalhar com quais ídolos do teatro?
RS: Tenho tantos ídolos, difícil falar todos. O Brasil é recheado de grandes atores e atrizes, vou citar alguns que tive o prazer de assistir e que me marcaram muito: Luís Melo,Ricardo Blat,Renata Sorah,Tony Ramos e gostaria de ser dirigido pelo Antunes Filho.


BM: Gonzaguinha, antes de ser cantor, chegou a estudar Economia. Se você não fosse ator, que ramo seguiria?

RS: Meu vestibular de direito caiu no mesmo dia que o de artes cênicas, coisas do destino. Mas, se não fosse ator, seria advogado.


BM: Entrar em contato com a vida dessas personalidades pode ser muito bom, mas pode ser decepcionante quando a gente encontra o lado mais humano desses artistas. Você se surpreendeu ou se decepcionou de alguma forma?

RS: Eu só me surpreendi positivamente, fiquei sabendo de muita coisa bacana do Gonzaguinha. Ele tinha fama de grosseiro antipático , mas na verdade ele era muito autêntico e falava o que pensava e acreditava, não fazia tipo. Fiquei sabendo que ele ajudava muita gente, mas não divulgava isso, era um cara super generoso.


BM: Por que as pessoas não podem perder este espetáculo?

RS: Porque é um espetáculo que voce ri, chora, mas no final você sai com uma vontade de gritar, de celebrar a vida, apesar de todos os problemas a vida é maravilhosa e estar vivo é uma dádiva.

 

Com o intuito de preservar a memória desse ícone da MPB, o espetáculo que já foi sucesso em vários lugares do país vem agora encantar o público paulistano, apresentando passagens da vida do artista que iniciou sua trajetória na década de 60 em meio aos tropeços da ditadura militar e seguiu cantando seus amores e anseios pela vida. 

O musical fará três únicas apresentações em São Paulo, nos dias 15, 22 e 29 de junho, sextas as 21h30, no Teatro BTC, na Vila Mariana. 

FICHA TÉCNICA: 

Texto: Gildes Bezerra 

Direção: Breno Carvalho 

Direção musical: Rafael Toledo 

Com: Rogério Silvestre, Bruna Moraes, Paulo Tizzo e Rafael Toledo 

Músicos: Alcione Ziolkowski, Julio Melo, Omar Fontes e Buga 

SERVIÇO: 

Únicas apresentações: Dias 15, 22 e 29/06 

Sextas às 21h30 

Teatro BTC Metrô Alto do Ipiranga (Rua Santa Cruz, 2105. Vila Mariana - SP - à 500mts do Metrô Alto do Ipiranga). 

Ingressos: R$ 80,00 inteira, R$ 60,00 antecipado e R$ 40,00 meia entrada 

Vendas online: www.ingressolive.com.br 

Mais informações: 2935-4120 / 94848-8546 por whatsapp 

Lotação: 170 lugares 

Classificação: Livre 

Gênero: musical

 

Please reload