#TEATRO Os Revivals de Charles Möeller e Claudio Botelho

24/5/2018

O ano de 2018 está sendo bem agitado e trabalhoso para Charles Möeller e Claudio Botelho. Em janeiro os produtores estrearam “Se Meu Apartamento Falasse” e não pararam mais, recentemente colocaram no palco uma nova montagem do clássico da Broadway “A Noviça Rebelde”. E ainda este ano a dupla promete mais duas estreias, sendo elas “Pippin” e “West Side Story”.

 

“A Noviça Rebelde”, em cartaz em São Paulo e com estreia no Rio de Janeiro já marcada para julho, é a segunda montagem de “The Sound of Music” de Rodgers & Hammerstein, a primeira aconteceu há exatamente dez anos, também dirigida por Möeller e Botelho. O musical se passa no final dos anos 30, pouco antes da Segunda Guerra, e conta a história de uma noviça que vive num convento, mas não consegue se adaptar às regras religiosas, vai trabalhar como governanta de um capitão viúvo com sete filhos e leva alegria de novo à casa. Nesta nova montagem, Malu Rodrigues vive a protagonista Maria, papel que foi de Kiara Sasso em 2008 e é lembrado até hoje pela atuação de Julie Andrews no cinema.

 

No segundo semestre a primeira estreia será de “Pippin”, que chegará aos palcos em agosto. Original de 1972, escrito e musicado por Stephen Schwartz, o mesmo compositor de “Godspell” e “Wicked”. O espetáculo conta a história de um príncipe que tem duvidas se o seu destino é realmente se tornar rei, então ele parte em uma viagem para tentar descobrir. O espetáculo teve sua montagem brasileira em 1974 com Marco Nanini e Marília Pêra nos papéis principais.

 

Em setembro, uma nova montagem de “West Side Story” está prometida para estrear no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Um musical com libreto Arthur Laurents, música de Leonard Bernstein e letras de Stephen Sondheim, inspirado por Romeu e Julieta de William Shakespeare, teve a sua primeira montagem brasileira em 2008, assinada por Jorge Takla. O espetáculo, estreado em 1957 em Nova York e levado ao cinema em 1961, acompanha uma história de amor em meio à disputa das gangues Jets e Sharks, americanos e imigrantes porto-riquenhos, pelo domínio de um bairro no subúrbio de Nova York.

 

Mas a lista de projetos de Charles Möeller e Claudio Botelho ainda inclui, sem previsão de estreia, uma remontagem de “O Despertar da Primavera”, a maior peça do dramaturgo alemão Frank Wedekind e um trabalho seminal da historia moderna do teatro. A peça critica a sociedade alemã do fim do século XIX que possuía uma cultura que oprimia a sexualidade e é uma dramatização viva de fantasias eróticas. A primeira montagem foi em 2009, tendo Malu Rodrigues como protagonista.

 

Aguardamos ansiosos por essas novas montagens!

 

Please reload