7 Dicas de Musicais para Conhecer Baseados nos Sucessos em Cartaz no Rio e SP

3/4/2017

 

Atualmente os palcos do Rio de Janeiro e São Paulo contam com uma série de musicais em cartaz: Diversas opções para agradar diferentes públicos. E se tem uma sensação que todo fã de Musical fica ao deixar o teatro é aquele famoso gostinho de “quero mais”: Chegamos em casa e escutamos a trilha sonora do musical, passamos dias com músicas chicletes na cabeça até que enfim vamos ao teatro mais uma vez assistir ao espetáculo.

No entanto, existe outra forma de se conectar com aquele musical que te deixou maravilhado. O Backstage Musical fez uma listinha com dicas de musicais para você com base em algum musical que você assistiu recentemente. E não, essa lista não quer deixar implícito que um musical é “pode copiar, só não faz igual" e sim, um incentivo para que você conheça outras obras baseado no seu gosto por algum musical em particular.

 

#1 Se você gostou de Les Misérables 
Hora de conhecer: THE PIRATE QUEEN

 

Les Mis é um sucesso por onde passa e com menos de um mês de temporada (contando as previews) já é um dos grandes destaques da atual temporada de musicais em cartaz na capital Paulista. No entanto, o épico musical passado na Revolução Francesa é apenas a obra mais famosa dos franceses Claude-Michel Schönberg e Alain Boublil. Nossa dica é para você conhecer outro musical da dupla, o não tão conhecido “The Pirate Queen”. O musical estreou no circuito Broadway no ano de 2007 e assim como seu irmão mais velho, foi escrito originalmente em francês e depois traduzido para o inglês.

Haldey Fraser canta o emblemático solo "I’ll Be There"

 

O musical é baseado na vida de Gráinne O’Malley, capitã e pirata que resistiu junto de seu clã à conquista de Irlanda pela Inglaterra durante o século XVI. A dupla revisita a música celta trazendo composições emocionantes e assim como em Les Mis, o clima do musical é mais denso. "The Pirate Queen" foi um flop realizando apenas 85 perfomances, além de 32 previews, mas ainda assim é uma obra interessante com uma forte personagem feminina. Você pode conferir o musical completo aqui.

 

#2 Se você gostou de O Homem de La Mancha 
Hora de conhecer: KISS ME KATE

 

Vamos lá, "O Homem de La Mancha" é um musical baseado em um clássico literário (Dom Quixote de La Mancha) escrito por um grande nome da literatura mundial (Miguel de Cervantes) que utiliza da metalinguagem, onde esse clássico da literatura é encenado dentro do próprio musical, ou seja, se você for assistir ao musical produzido pelo Ateliê de Cultura no Teatro Alfa, você verá os loucos do musical encenando a saga de Dom Quixote, e nesse processo, assumindo outras personagens a medida que a história avança. Guardadas as devidas proporções, "Kiss Me Kate", musical de Cole Porter, segue a mesma linha.

 Uma das cenas mais empolgantes de Kiss Me Kate: “It’s to Darn Hot”

 

O grande nome da literatura mundial no caso é ninguém menos que William Shakespeare e a obra, "A Megera Domada" que assim como em La Mancha, é encenada dentro da própria narrativa, só que dessa vez pela Companhia de Atores de Fred Graham. Outro ponto em comum das duas obras é o backstage  por trás da trama: Em "Kiss Me Kate" as desavenças entre Fred Graham e sua esposa Lili Vanessi se assemelham com as brigas de Petrucchio e Catarina, personagens da obra de Shakespeare. O musical é inspirado na história real do casal de atores Alfred Lunt e Lynn Fontanne mostrando a relação deles no momento em que eles participavam da montagem dessa peça no ano de 1935. De forma semelhante, "O Homem de La Mancha" mostra ao público o quão biográfico Dom Quixote era para Miguel de Cervantes. Você pode conferir o musical completo aqui.

 

#3 Se você gostou de RENT! 
Hora de conhecer: HAIR

Um musical que utiliza dos ritmos transgressores do rock para retratar a história de um juventude em Nova Iorque que anda na contra-cultura do momento histórico em que vive. Essa descrição poderia ser a sinopse nua e crua de "RENT!" ou de "Hair". Em cartaz no Teatro Shopping Frei Caneca, o musical de Jonathan Larson retrata a vida de um grupo de jovens no final da década de 1980, na época em que a epidemia do HIV era assunto dos tabloides. As personagens são artistas e jovens profissionais no início de sua carreira, todos quebrados, sem ter mesmo a grana para pagar o aluguel. Já em "Hair" se passa na década de 1960, nos tempos áureos da juventude hippie que se opunha à Guerra além de levantar bandeira contra a manipulação midiática, política e da religião. Os tabloides ficam por conta da liberdade sexual, apologia às drogas e luta contra preconceito. Duas juventudes separadas por épocas distintas dentro de uma mesma Nova Iorque, mas com uma mesma insatisfação contra as barreiras sociais e demais preconceitos latentes à humanidade.

Apresentação do elenco do Revival de 2009 de ‘Hair’ no Tony Awards. Qualquer semelhança com "La Vie Bohème" não é mera coincidência.

 

De igual forma, ambos musicais estrearem no circuito Off- Broadway e dialogaram com o público de maneira direta, afinal "Hair" e "RENT!" foram compostas e estrearam dentro do próprio período que a obra retratava, ou seja, a plateia se identificava com o encenado pois vivia justamente aquilo que era tratado em cena, o que justifica o grande sucesso de público que acabou impulsionando, ambos musicais, a serem transferidos para os teatros da Broadway. O rock também é outro ponto de convergência entre as obras, e um dos destaque de "Hair" foi justamente abrir o caminho para o gênero dentro do Teatro Musical, o que beneficiaria "RENT!" duas décadas mais tarde.

 

Embora sejam musicais datados de um contexto sociocultural, ainda são obras bastante pertinentes que continuam a ser encenadas, então já sabe: Depois de conferir "RENT"! no Frei Caneca, junta os amigos boêmios para entrar na vibe psicodélica da Era de Aquarius. Você pode conferir a montagem brasileira completa aqui

 

#4 Se você gostou de Rocky Horror Show

Hora de conhecer: HEATHERS

"Rocky Horror Show" é um musical que faz sátira aos filmes de terror, se valendo dos clichês do gênero e um humor muito peculiar. As desventuras do casal de heróis Janet Weiss e Brad Majors no castelo do cientista alienígena Dr. Frank N’Furter tem feito grande sucesso nos palcos e no cinema e provoca na plateia uma empatia muito singular: Confessadamente trash a obra se elevou a categoria de filme cult e caiu de vez no gosto do público.

 

No mundos dos musicais, até mesmo o cult encontra seu lugar e consegue conquistar o público

Caso semelhante aconteceu com ‘Heathers’, filme de 1988 estrelado por Wynona Ryder, que também tem essa pegada cult. A intenção era apresentar ao público um filme de temática high school totalmente fora do comum e o resultado, é uma trama onda os populares da escola não são exaltados, mas vingados. A adaptação musical ocorreu em 2010 (embora tenha estreado na Broadway apenas em 2014) e, mesmo não tendo sido um grande sucesso de bilheteria, se tornou uma preciosidade entre os fãs de musicais. Em breve o musical chegará aos palcos do Rio de Janeiro pelas mãos da Cerejeira Produções, trazendo, assim como "Rocky Horror Show" um humor mais ácido, além de umas pitadinhas de tragédia e horror.

 

#5 Se você gostou de Shrek, O Musical
Hora de conhecer: LEGALLY BLONDE

Quer rever um dos musicais mais encantadores e bem humorados que já passaram pelos palcos brasileiros e ainda ficar de olho em novos talentos em ascensão? Então você não deve deixar de conferir "Shrek, O Musical", montagem acadêmica produzida em parceria com o Teen Broadway de Maíza Tempesta e a Hebraica. A história do musical é baseada na trama do primeiro filme da franquia do grande ogro verde: Shrek é um ogro que se vê numa jornada em resgate a Princesa Fiona para conseguir enfim escritura do seu pântano com o terrível Lord Farquaad. Quem já conferiu o musical sabe que a adaptação foi feita de maneira a preservar diálogos e cenas da animação, o que faz com que o musical seja ainda mais interessante.

O ‘Coro Grego’ de Elle Woods em Legally Blonde lembra o coro de Ratas Cegas em Shrek.

 

Outro musical também baseado em um filme que teve a preocupação em reproduzir cenas e diálogos do material original é "Legally Blonde", mantendo todo humor do filme de 2001 numa roupagem ainda mais lúdica. No musical, conhecemos a jornada de Elle Woods, uma jovem que resolve se matricular no curso da Universidade de Harvard numa tentativa de reatar com seu ex-namorado, mesmo não tendo (aparentemente) aptidão para a profissão. O musical estreou na Broadway em 2007 e foi transmitido ao vivo pela MTV que é facilmente encontrado no YouTube

 

Como a premissa dos dois filmes é fazer uma adaptação que agrade os fãs da obra original, vamos combinar o seguinte: Sabe aquele seu amigo/parente que não é tão chegado em ver musicais? Que tal introduzi-lo a esse universo levando-os para assistir "Shrek, O Musical" e depois apresentar "Legally Blonde"? Só não vai inventar de fazer uma maratona para não sobrecarrega-lo.

 

#6 Se você gostou de VAMP
Hora de conhecer: TANZ DE VAMPIRE

Recém-estreado no Teatro Riachuelo no Rio de Janeiro, o musical baseado na novela de grande sucesso dos anos 1990 promete arrastar uma legião de fãs para o teatro. Bem humorado e nostálgico, o musical tem um clima mais dark por conta de toda sua trama bem vampiresca. E aproveitando o clima de descontração, sugerimos outro musical com vampiros para você conhecer: Tanz De Vampire.

 

Traduzido ao pé da letra como ‘A Dança dos Vampiros’, o musical é uma produção alemã de 1997 baseada no filme de mesmo nome de Roman Polanski. O filme, se tornou um ícone cult e faz uma paródia com os clichês existentes nos filmes de vampiros da década de 1950-60. O “Conde Vlad" da história é Conde Krolock, um vampiro que anualmente dá um baile em seu castelo na Transilvânia e nutre uma admiração pela jovem Sarah, que também despertou o amor de Alfred, assistente de um caçador de Vampiros. A trilha sonora foi composta por Jim Steinman, que reaproveitou de músicas que ele tinha escrito anteriormente como “Total Eclipse of the Heart”; “Seize the Night” e “Original Sin”.

 

#7 Se você gostou de Beatles Num Céu de Diamantes
Hora de conhecer: ACROSS THE UNIVERSE

As vésperas de comemorar 10 anos em cartaz, “Beatles Num Céu de Diamantes” é um clássico do repertório da Möeller & Botelho que já rodou todo o país, inclusive já se apresentando na França. Atualmente está em cartaz no Theatro Net Rio no Rio de Janeiro. Assim como o nome sugere, o musical é um jukebox reunindo grandes sucessos de The Beatles, uma das bandas de rock mais influentes dos últimos tempos. Sem pretensão de ser biográfico, o espetáculo propõe uma viagem bem psicodélica por um mundo de sonhos, céu de diamantes e campos de morangos sem compromisso com uma linearidade: Não há falas e a banda fica no palco cantando junto dos atores-cantores em um clima bem intimista e convidativo.

 

 

Pra quem tem interesse em ver as músicas do quarteto de Liverpool em outro musical, a dica é conhecer ‘Across The Universe’ filme de 2007 dirigido por Julie Taymor (a mente genial por trás do musical “The Lion King"). Diferente da produção da MB, o filme tem uma história mais concisa e os momentos mais psicodélicos e abstratos são pontuais. A história se passa entre Liverpool e New Jersey dos anos 1960, trazendo todo o contexto da guerra e do movimento da juventude questionadora da época, centrando-se no relacionamento entre Jude (Jim Sturgess) e Lucy (Evan Rachel Wood). Poético e visualmente interessante, o filme contém 34 músicas dos Beatles e conta com participações especiais de Bono Vox , Eddie Izzards e Salma Hayek. Julie Taymor já demonstrou interesse em adaptar o filme para os palcos da Broadway, mas enquanto isso não acontece, vale a pena preparar uma bacia de pipoca e assistir ao filme no conforto do seu sofá.

 

E você? Qual outra dica você sugere com base nos musicais que atualmente estão em cartaz?

Please reload