Ficha Musical #01 – Chicago

23/1/2017

 

O ano de 2017 chega cheio de novidades para nós aqui do Backstage Musical, e a partir dessa semana, todas as segundas-feiras iremos aprender sobre um novo musical na coluna #FichaMusical. Para começar escolhemos um clássico da Broadway que está em cartaz há mais de duas décadas; O Backstage Musical Crookem County Jail apresenta: Chicago!

 

CHICAGO
Música: John Kander
Letra: Fred Ebb
Libreto: Fred Ebb e Bob Fosse
Ano de estreia: 1975 – Broadway (46th Street Theatre, hoje chamado Richard Rodgers Theartre)
Elenco: Chita Rivera (Velma Kelly); Gwen Verdon (Roxie Hart); Jerry Orbach (Billy Flynn) e Barney Martin (Amos Hart)

 

Aqui vale uma ressalva: O musical estreou em 1975 com o nome de ‘Chicago – A Musical Vaudeville’ e completou 936 performances até o encerramento da temporada. O musical contava com coreografia original de Bob Fosse e caiu no gosto do público e da crítica, sendo indicada a 10 categorias no Tony, incluindo “Melhor Musical” e “Melhor Atriz Protagonista” para Chita Rovera e Gwen Verdon, no entanto, naquele ano ‘A Chorus Line’ levou a maioria das estatuetas. No entanto, ‘Chicago’ deixaria sua marca definitiva anos depois...

 

Cenas da produção original de 1975 com Gwen Verdon e Chita Rivera

 

Revival: 1996 – Broadway, no mesmo local, já renomeado como Richard Rodgers Theatre.
A nova produção de ‘Chicago’ foi um grande sucesso: Revisitado, o musical foi rebatizado de ‘Chicago – The Musical’ e conquistou de vez o público, conquistando o Tony Award de “Melhor Revival Musical” e outras cinco estatuetas, além do Grammy na categoria “Melhor Álbum de Teatro Musical”. O responsável pela direção foi Walter Bobbie, que manteve o estilo Fosse e ganhou o Tony “Melhor Diretor de Musical”. No elenco estavam: Ann Reinking (Roxie Hart); Bebe Neuwirth (Velma Kelly); James Naughton (Billy Flynn); Joel Grey (Amos Hart); Marcia Lewis (Mama Morton) e D. Sabella-Mills (Mary Sunshine).

 

Essa é a produção que conhecemos nos dias hoje, que está até hoje em cartaz após ter passado por outros dois teatros: Shubert Theatre e Ambassador Theatre (desde 2003 até os dias de hoje). ‘Chicago’ atingiu a marca de Musical Americano a mais tempo a cartaz e Revival Musical a mais tempo em cartaz na história da Broadway.


 

 All That Jazz - A abertura do musical já se tornou um clássico da Broadway

 

Sinopse: Baseado na peça homônima Maurine Dallas Watkins, ‘Chicago’ é uma sátira ao sistema judiciário da cidade de Chicago nos anos 1920, onde os criminosos eram todos absolvidos de seus crimes, que eram acompanhados sob grande espetacularização. Contado com muito bom humor ao som de jazz e aliado a poesia dos movimentos de Bob Fosse; acompanhamos Roxie Hart, uma jovem aspirante à fama que acaba sendo condenada pela morte de um rapaz e na cadeia conhece sua grande inspiração artística: a vedete Velma Kelly.

 

Personagens
Roxie Hart: Casada com Amos Hart, mantém um romance secreto com Fred Caselley que termina de maneira abrupta quando Roxie percebe que ele não conseguiria lhe garantir a tão desejada fama, o que ocasiona na sua prisão. 
Velma Kelly: Ex-vedete condenada pelo assassinato da irmã e esposo. Despreza o assédio de Roxie, mas corre atrás da moça quando essa passa ser a nova queridinha de Billy Flynn e da mídia. 
Billy Flynn: O advogado criminal mais procurado de Chicago. Egocêntrico, nunca perdeu um caso e conta com sua lábia e persuasão para convencer a mídia e júri.
Amos Hart: O devoto marido de Roxie que acredita piamente na inocência de sua esposa.
Mama Morton: Carcerária do Crookem County Jail que negocia com as prisioneiras do local diversas regalias em troca de dinheiro.
Mary Sunshine: Bisbilhoteira repórter que acompanha e cobre a saga de cada novo assassinato.

 

O Filme:
Em dezembro de 2002, estreava a versão cinematográfica do musical que tinha no elenco Renée Zellweger (Roxie); Catherine Zeta-Jones (Velma); Rochard Gere (Billy); John C. Reilly (Amos Hart); Queen Latifah (Mama Morthon) e Christine Baranski (Mary Sunshine). O roteiro foi adaptados dos palcos para as telas por Bill Condon e a direção e coreografia ficou a encargo de Rob Marshall (que futuramente viria a dirigir também ‘Nine’ e ‘Into The Woods’) que optou por retratar o filme sobre ótica dos delírios de Roxie com a fama, sendo assim, os grandes e super produzidos números musicais eram vislumbres da personagem que sempre enxergava a situação que ela estava vivendo com uma grande dramatização em estilo vaudeville.

 

A visão do diretor deu muito certo: Foram 13 indicações ao Oscar em 2003, faturando 6 estatuetas, incluindo Melhor Atriz Coadjuvante para Zeta Jones e, Melhor Filme, vencendo ‘O Pianista’; ‘Gangues de Nova York’ e ’O Senhor dos Anéis: As Duas Torres’. O fato foi impressionante, uma vez que o último filme musical a ganhar a estatueta de Melhor Filme foi ‘Oliver!’ em 1968 e até então, nenhum outro filme musical conseguiu o feito, talvez 'La La Land' o consiga.

 

Uma das cenas mais icônicas do filme, onde vemos Roxie transformando suas conversas com as demais detentas em um número de tango. No musical, Roxie nem participa da cena.

 

No Brasil:
A produção brasileira de ‘Chicago’ estreou no Brasil em 2004 no Teatro Abril, atual Teatro Renault. A montagem era uma franchise produzida pela CIE Brasil (hoje Time For Fun Entretenimento) com direção geral Scott Farris; supervisão musical de Vincent Fanuel e regência de Miguel Briamonte e versões de Cláudio Botelho, sendo a primeira vez que o musical foi traduzido para o português. O musical ficou em cartaz de 28 de Abril a 19 de Dezembro de 2014.

 

No elenco, Adriana Garambone era Roxie Hart e Daniel Boaventura, Billy Flynn. Danielle Winits deu vida à Velma Kelly, sendo uma das primeiras vezes em que uma atriz conhecida do grande público pela TV ganhava um papel de destaque nas produções “Broadway Brasil” com intuito de atrair público, algo muito comum nos dias de hoje. Somavam-se ainda ao elenco Jonathas Joba (Amos Hart); Selma Reis (Mama Morton) e Guto Bittencourt (Mary Sunshine) além de Nando Pradho; Roberto Rocha; Keila Bueno; Kátia Barros; Estela Ribeiro, entre outros.

 

A saudosa Selma Reis em cena como Mama Morton cantando “Se Tu Faz Pra Mama/When You Good To Mama”.

 

Uma curiosidade é que o fato de Winits der dado vida à uma Velma loira e Garambone à uma Roxie ruiva (que nas imagens de divulgação aparentava ser morena por conta da iluminação) confundiu um pouco a cabeça do público que tinha fresca na mente a caracterização conforme a do filme de 2002, que era o oposto. Muitos chegavam ao Teatro achando que Winits faria o personagem de Reneé Zellweger.

 

Curiosidades e Cultura Pop:
‘Chicago’ é consagrado pelo seu estilo único de coreografia e onde o trabalho de Bob Fosse ficou mais visível. As coreografias de “All That Jazz” e “Hot Honey Rag” são amplamente ensinadas nas escolas de Teatro Musical pelo mundo afora. Da mesma forma, canções como “Mr Cellophane” e “Funny Honey” acabam sendo um dos primeiros solos aprendidos por jovens aspirantes.

 

O musical fez grande sucesso internacionalmente, sendo traduzido em mais de 14 idiomas e representado em mais de 20 países, entre eles México, Rússia, Espanha, África do Sul, Hong Kong, Dinamarca, Japão, Peru e Austrália.

 

“Cell Block Tango” foi parodiado inúmeras vezes com temáticas bastante diferentes, de vilões da Disney  e dos quadrinhos a performances só com rapazes, o hit caiu no gosto do povo.

 

'Chicago' é atualmente o musical que mais integra artistas conhecidos do grande público em seu elenco: a média é de 3 celebridades por ano. Entre nomes notáveis que já entregaram o elenco nos palcos da Broadway estão: Como Roxie: Ashlee Simpson; Jennifer Nettles; Melanie Griffth; Rita Wilson e a ex-Spice Mel B. Como Billy Flynn: Michael C. Hart; Usher; Patrick Swayze e Eddie George. Como Mama Morthon: Nene Leakes e Sofia Vergara.

 

Na Playbill dos espetáculos da Broadway o nome do ator que faz Mary Sunshine sempre é apresentado de simplificado: Apenas as iniciais e o sobrenome (ex: R. Lowe; J. Loeffelholz), sendo assim a surpresa da identidade da personagem é mantida. A razão de ela ser representada por homens vem das origens do musical em 1976: Como ele era estruturado em números de Vaudeville, o número de Mary Sunshine seria o “número Drag”, assim como “They Both Reached the Gun” é o número de ventríloquo e “Razzle Dazzle” o de acrobacias, números comuns em espetáculos desse estilo.

 

Após viver Velma Kelly no primeiro elenco do revival em 1996, atriz Bebe Neurwith retornaria a produção em 2007 vivendo dessa vez Roxie Hart. Em 2014, a atriz volta à produção pela terceira vez dessa vez no papel de Mama Morton, Vale ainda mencionar que Neurwith ganhou seu segundo Tony por interpretará Velma Kelly.

 

A série de TV Glee (FOX) já produziu covers das músicas “All That Jazz”; “Mr. Celophane”; “Cell Block Tango” e “Hot Honey Rag”, contribuindo ainda mais para a popularidade do musical entre o grande público.

 

A atriz e cantora Suellen Ogando apresentou o número “All That Jazz” em TV aberta no programa Máquina da Fama do SBT fazendo cover de Catherine Zeta Jones e ganhou o prêmio máximo no episódio.

 

Velma e Roxie são personagens “sem perfil”, ao longo dos muitos do musical em cartaz, seja no Broadway ou fora dos EUA. Embora se tenha a imagem de Zeta-Jones e Zellweger para as personagens por conta do cinema, a produção não exige das atrizes que tenham determinada cor de cabelo, pele, altura, etnia etc, o que eles chamam de escalação colorblind.

 

A atriz Deidre Goodwin participou no filme de 2002 como June, uma das presidiárias (SQUISH ) e anos depois viria a participar do elenco do musical em 2009/10 como Velma Kelly ao lado de Ashlee Simpson (Roxie). Já Chita Rivera, que originou o papel de Velma também fez uma ponta no filme como a prostituta Nicky.

 

Please reload