10 Anos de Spring Awakening

10/12/2016

 

 

No dia 10 de dezembro de 2006 estava estreando na Broadway o que seria um dos musicais mais marcantes do século 21 que passaria por esse circuito. O vencedor de diversos prêmios Tony, incluindo de melhor musical, Spring Awakening (ou 'Despertar da Primavera' na versão brasileira), tem músicas de Duncan Sheik e texto de Steven Sater.

 

O musical se tornou uma referência por possuir uma linguagem inédita: se apropriando de um texto do final do século XIX com uma carga dramática absurdamente densa, foi inserido rock alternativo de melhor qualidade, com uma belíssima orquestração e harmonias de tirar o fôlego. Conversando diretamente com um novo público, o musical mostra dramas vividos por adolescentes até os dias dias de hoje e que são tratados como tabus.

 

 

 

O ELENCO

 

O espetáculo foi transformador não apenas em relação ao teatro musical, mas também na vida de cada um dos membros do elenco. O exemplo mais claro disso foi com Lea Michele, que logo após de sua participação no musical onde teve sua primeira grande protagonista, integrou no elenco da série Glee, se tornando, instantaneamente, uma das maiores referências teen da atualidade.

 

O mesmo ocorreu em menor escala com Jenna Ushkowitz e Jonathan Groff. A primeira fez parte do ensemble de Spring, e logo em seguida conseguiu papel no elenco regular na série, onde interpretava Tinna. Groff, que interpretava Melchior, fez apenas uma participação na série, o que já foi suficiente para conquistar muitos fãs.

Entretanto, nem todos os membros bem sucedidos do elenco tiveram que passar por Glee para ter tal feito. Muitos deles são grandes destaques no cenário do teatro musical, como é o exemplo de John Gallagher Jr., o ator que levou um Tony de melhor ator coadjuvante por sua brilhante performance como Moritz seguiu originando grandes papéis, como é o caso de Johnny, em American Idiot.

 

As duas swings femininas também iniciaram suas carreiras nesse espetáculo. Jennifer Damiano ganhou espaço notório na área após interpretar Natalie, no elenco original de Next To Normal, emendando grandes trabalhos, como Spider Man: Turn Off The Darkness e American Psycho. Krysta Rodriguez também não tardou para conseguir seu espaço no meio: logo após integrou o elenco de In The Heights e em seguida conseguiu seu primeiro papel de destaque, Wandinha em The Addams Family, sendo atualmente um dos maiores nomes do teatro musical de sua geração.

 

 

 

NO BRASIL

 

O musical chegou cedo aos palcos brasileiros, com estreia em agosto de 2009 no Rio de Janeiro, pelas mãos da dupla Moeller e Botelho, marcada por ser uma das primeiras montagens não-replica do espetáculo.

 

O fenômeno em relação ao elenco se repetiu em nosso país. A ideia da dupla era trazer um elenco todo composto com rostos novos para que não houvesse identificação dos atores com nenhum outro personagem, dando mais credibilidade à história que estava sendo contada. E assim foi feito. O Despertar da Primavera marcou o inicio de carreira de diversos nomes da geração atual do teatro musical brasileiro.

 

Entre os destaques do elenco estavam Malu Rodrigues, que ao dar vida à personagem Wendla teve sua primeira grande protagonista aos seus 16 anos, onde seguiria com uma longa carreira em parceria com a dupla de diretores. Pierre Baitelli e Rodrigo Pandolfo, responsáveis respectivamente por Melchior e Moritz, ambos brilhantes atores, seguiram grandes carreiras no teatro, cinema e TV.

 

André Loddi e Bruno Sgrist, que ajudavam a compor o ensemble, atualmente emendam musical atrás de musical. Loddi protagonizando dois grandes espetáculos deste ano e Sgrist sempre cotado diversos musicais, como Rent, com estreia prevista para o próximo dia 14.

 

Lua Blanco, que também compunha o ensemble, ganhou milhares de seguidores pelo país ao participar da versão brasileira na novela Rebelde. Felipe de Carolis, responsável por Ernst, atualmente se divide entre os palcos e a TV, entre os poucos musicais que fez recentemente demostrou um talento inigualável, atualmente em cartaz com Rocky Horror Show, possui uma desenvoltura brilhante ao interpretar Brad.

 

 

 

O REVIVAL

 

Spring Awakening também fez história ao ser o primeiro musical do século 21 a ganhar um revival na Broadway, mas não só por isso que essa montagem é tão relevante: o espetáculo contava com uma acessibilidade total especial para portadores de deficiência auditiva.

 

A solução encontrada pelo diretor Michael Arden foi compor coreografias onde se adicionava de forma harmoniosa a linguagem norte-americana de sinais, deixando cada movimento ainda mais expressivo. A impossibilidade de falar dada pelos personagens personagens mais vulneráveis como Wendla, Martha e Moritz também serve como metáfora para a opressão que sofrem.

 

Para isso, o elenco era composto por um conjunto atores portadores dessa deficiência, os quais interpretavam os personagens junto de outros que se limitavam apenas na voz e compunham também a banda, funcionando como uma voz dentro da mente de cada um dos jovens, gritando tudo aquilo que eles não podem falar.

 

Além disso, o elenco também contava com alguns poucos atores que além da linguagem de sinais também tinham sua própria voz, interpretando os personagens que eram menos afetados pelas barreiras da moral da sociedade, podendo expor o que pensava, como era o caso do Melchior, da Ilse e do Hänschen. Para interpretar os dois últimos foram convidados dois atores da montagem original do espetáculo: Krysta Rodriguez, que acabava de se recuperar de uma luta contra um câncer, e Andy Mientus, ambos famosos por, entre outros trabalhos, a segunda temporada da série Smash.

 

 

 

Please reload