Por que você deveria estar celebrando a escolha do elenco de Wicked Brasil

15/1/2016

 

E ontem foi o dia pelo qual muitos de nós, fãs de musicais, esperávamos ansiosos: o dia em que anunciariam (finalmente!) o elenco da montagem brasileira de “Wicked”. Todo fã de Wicked que realmente é fã de Wicked já escalou, em algum momento da vida, o seu elenco ideal para o musical. E quando a produção foi oficialmente anunciada, os movimentos a favor de atores e atrizes “ideais” para os papéis triplicaram em notícias falsas, montagens e até mesmo em nosso imaginário.

 

Não há como negar que todos nós já imaginamos uma vez ao menos Alessandra Maestrini desafiando a gravidade ou Kiara Sasso sendo popular. Talvez Paula Capovilla como Madame Morrible ou Pedro Sol como Fiyero. Malu Rodrigues e Renata Ricci também já foram ligadas ao nome “Glinda" em montagens de fan pages de musicais. Enquanto Giulia Nadruz e Alessandra Verney também eram desejadas pintadas de verde no palco do Teatro Renault. 

 

Ontem, a surpresa: um elenco inesperado! Fabi Bang como Glinda e Myra Ruiz nossa Elphie verde (e amarela). Jonatas Faro e André Loddi se alternam no papel de Fiyero. Sérgio Rufino é o Mágico, Adriana Quadros como Madame Morrible, Giovanna Moreira é Nessarose, Bruno Fraga  dá vida ao Boq e César Mello como Doutor Dillamond. E é triste, mas possível de se encontrar comentários nonsense desaprovando e desqualificando o cast brasileiro. Então, afinal, por que você deveria estar celebrando a escolha do elenco de Wicked Brasil?

 

 

Simplesmente porque o talento e dedicação de cada um foi mais do que levada em conta. Nada de nomes comerciais ou grandiosos apenas nos cartazes. O elenco brasileiro de Wicked é composto por reconhecimento, história, estudo, experiência e talento. A começar por Fabi Bang, a atriz que abalou o Rio de Janeiro em Kiss Me Kate - O Beijo da Megera e fez história em tantos musicais brasileiros como A Família Addams, Cats, O Fantasma da Ópera e Priscilla - A Rainha do Deserto, assume o papel dos sonhos. Sorte? Não, dedicação. E não é rasgação de seda, é o merecido reconhecimento. Enquanto Myra Ruiz parece ainda não acreditar que, em alguns dias, estará na pele (verde) em que muitas atrizes de musicais sempre desejaram estar. Mas também não houve segredo. Myra já aprontou seus feitiços como a bruxinha de Shrek - O Musical e depois de colocar o Teatro Porto Seguro no chão sendo mais que ITALIANA, recebe um prêmio melhor que um Bibi, Tony ou Olivier: a chance de se mostrar ainda mais talentosa e capaz. 

 

Aí chega aquele momento em que você não sabe se sente inveja de Jonatas Faro por estar no elenco, por dividir ou palco com as monstras Fabi e Myra ou por ele já ter assistido Wicked várias vezes! Isso mesmo! Ontem, no Press Day do musical, Jonatas revelou que já se emocionou com a história não contada das bruxas de Oz mais do que uma vez. E, não por isso, nos resta esperar um ótimo desempenho do ator que irá dividir o papel de Fiyero com o grande Andre Loddi, que dispensa comentários, depois de nos encantar em  ‘O Despertar da Primavera’, ‘Beatles num Céu de Diamantes’, ‘Um Violinista no Telhado’ e ‘Como Vencer na Vida sem Fazer Força’.  Jonatas estreou, com sucesso, nos musicais em Hairspray e já contou, em uma rede social que estudou e se esforçou para provar que está apto para o papel. 

 

No ensemble, nomes dos quais não há como se esperar menos do que um espetáculo à parte, como: Rodrigo Negrini, Thuany Parente e Matheus Paiva. Que se juntam a Talita Real, Hellen de Castro, Júlia Duarte, Roberta Jafet, Sara Marques, Vânia Canto, Carolina Franco, Jess Gardolin, Laura Ávila, Sâmella Nathielle, Andreza Meddeiros, Fernanda Muniz, Diego Montez, Jessé Scaperllini, Léo Wagner, Fábio Lima, Gabriel Malo, Kauê Ribeiro, Lucas Nunes, Cauã Viana, Guilherme Pereira e Sandro Conte, somando 25 talentos de tirar o fôlego. 

 

Então, as escolhas para esse time só podem fazer felizes os atores que estudam teatro musical, pois assim sabemos que a dedicação está sendo levada em conta e o talento não se tornou dispensável nos palcos brasileiros. Fazem o público em geral feliz, pois garantem que Wicked Brasil seja um espetáculo de qualidade e não apenas uma linda história contada em um grande teatro, com grandes efeitos como O Rei Leão. E mostram tudo isso, sendo o resultado de milhares de currículos enviados, atores selecionados, testes realizados e não de receitas para se vender ingressos. O elenco brasileiro de Wicked veio nos mostrar que há como acreditar nos que se garantem mais no palco e não na bilheteria.

 

A prova final? Acontece em março, quando estivermos de cara com o famoso dragão do cenário no palco do Teatro Renault. Você, já comprou seu ingresso?

 

Please reload