Musical de Toquinho volta a São Paulo no segundo semestre

18/7/2016

Depois de uma temporada bem-sucedida em 2015, o musical Canção dos Direitos da Criança reestreia no Teatro Frei Caneca, no começo de setembro, em curta temporada. Talvez esse seja um dos musicais mais conhecidos de Toquinho, fora de sua parceria com Vinicius de Moraes.

O musical surgiu a partir do disco Canção de Todas as Crianças, lançado pela Polygram, em 1986, uma parceria entre Toquinho e o diretor Elifas Andreato. O tema é inspirado na Declaração Universal dos Direitos da Criança, proclamada pela Assembleia Geral 1386 (XIV), da Unicef, em 20 de novembro de 1959. Até então, os direitos das crianças eram assegurados pela Declaração Universal dos Direitos do Homem e pela Declaração de Genebra dos Direitos da Criança, de 1924. Da Assembleia Geral 1386 (XIV) da Unicef, surgiram dez princípios básicos publicados na Declaração. 

Toquinho, que já havia trabalhado com Elifas Andreato em outros musicais infantis, como “A Arca de Noé” e “A Arca de Noé 2”, voltou a trabalhar com o diretor, responsável por assinar a parceria das músicas do disco, um dos LP’s voltados pra crianças mais vendidos da história.


Sabendo da importância do disco, que já inspirou duas peças de teatro, a diretora e escritora Carla Candiotto concebeu o espetáculo e escreveu os textos da adaptação. No enredo, as crianças não têm nome, nem sobrenome, são chamadas de “coisinhas” e trabalham horas seguidas sem comida. Cansadas dos maus-tratos da Rainha Má e do seu capacho, o Primeiro Ministro, as crianças bolam um plano para conseguir comida.

Carla, uma das fundadoras do grupo de teatro infantil Le Plat du Jur, optou por transportar o espetáculo para era vitoriana, durante a Revolução Industrial inglesa. Durante o processo, a direção e o elenco entraram em contato com o legado deixado por uma das maiores defensoras dos direitos das crianças, a inglesa Eglantyne Jebb, que criou em 1923 a ONG Save the Children. Segundo um dos atores do elenco, Lucas Cândido, a obra de Eglantyne foi fundamental para a estética do espetáculo. “Durante os ensaios, estudamos, vimos de onde veio a Declaração dos Direitos da Criança e chegamos na Eglantyne Jebb. A figura dela ajudou bastante a construir a peça”, conta.

Depois do fim da temporada, em outubro do último ano, a equipe fez ainda algumas apresentações esporádicas e agora se prepara para voltar em setembro ao Teatro Frei Caneca, onde fica até o fim de outubro ou o começo de novembro.

O elenco traz dois novos integrantes, que surgem em substituição a Igor Miranda (Primeiro Ministro) e Bernardo Berro (Menino George), que estão envolvidos em outros trabalhos (‘GHOST, O Musical’ e ‘O Musical Mamonas’ respectivamente). A peça traz, então, Carola Badra (Rainha), André Dias (Primeiro Ministro), Fabiano Medeiros (Menino Antônio), Lucas Cândido (Menino Ed), Roberson Lima (Menino George), Thiago Ledier (Menino Celsinho), Rennata Airoldi (Menina Solanginha) e Carolina Rocha (Menina Consuelo). 

Quem assina a direção musical e os arranjos é o maestro Daniel Rocha, com trilha adicional composta em parceria com Daniel Tauszig. Das dez músicas do musical, quatro foram extraídas do disco original ‘Canção de todas as Crianças’ de 1986, outras três, do álbum ‘Toquinho e Convidados em Canção dos Direitos da Criança’, de 2002, e ainda uma do repertório clássico de Toquinho. A setlist completa tem: ‘Bê-a-ba’; ‘Gente tem sobrenome’; ‘Imaginem’; ‘Natureza Distraída’ (do disco de 1986); ‘Errar é humano’; ‘É bom ser criança’; ‘Herdeiros do futuro’ (do álbum de 2002); e ‘Aquarela’, o clássico infantil de Toquinho, lançado em disco homônimo de 1983.

O espetáculo ainda tem coreografia e direção de movimento de Roberto Alencar, cenografia e figurinos de Marco Lima e iluminação de Wagner Freire. Os atores tiveram aulas de circo, com Carlos Cosmai durante os ensaios para estarem preparados para recursos como teatro de sombras, bonecos, máscaras e etc. 

E uma boa notícia para o público de Campinas e região; O musical tem programadas apresentações no Teatro Iguatemi Campinas, nos dias 23 e 24 de julho. A previsão para estreia no Teatro Frei Caneca é para o dia 3 de setembro.

Please reload