Especial Wicked: Do Livro Para os Palcos

16/3/2016

O autor Gregory Maguire com Shoshana Bean (Elphaba) e Megan Hilty (Glinda).

 

Continuando nosso Especial Wicked vamos direto a fonte que inspirou o musical que estreou recentemente em São Paulo: O musical que conta sobre este outro lado da não tão mal Bruxa Má do Oeste, é inspirado no livro do escritor americano Gregory Maguire, que não teve uma repercussão tão estrondosa quanto o musical.

 

Antes de falarmos direto do livro “Wicked” vale a pena lembrar que a série de Maguire não é o primeiro e nem será o último reconto das desventuras em Oz, mundo fictício criado pelo escritor americano L. Frank Baum quando publicou seu primeiro livro “O Mágico de Oz” em 1990. No entanto, o diferencial da ‘fanfic’ de Gregory Maguire foi o fato de justamente pensar nos eventos que ocorreram antes da menina Dorothy chegar a Oz pela primeira vez, mostrando as situações que levaram cada uma das personagens terem o desfecho já conhecido no clássico original. Aliás, o autor é conhecido por fazer uma série de recontos de clássicos da literatura, sempre tentando mostrar o “outro lado” e as motivações por traz das ações das personagens. Ao longo de sua carreira, Maguire já recontou a história das irmãs postiças da Cinderella (“Confessions of an Ugly Stepsister”), Hamlet (“The Hamlet Chronicles”), João e o Pé de Feijão (“Fee, Fie, Foe et Cetera”), do País das Maravilhas (“After Alice”) e uma outra versão da história do Espantalho de Oz que não tem ligação alguma com a gênese da personagem apresentada no musical Wicked.


Mais do que um livro, Gregory Maguire se tornou uma série de livros intitulada de “The Wicked Years”, ou ‘Os Anos Malignos’ em bom português. O primeiro deles, “Wicked –The Life and Times of the Wicked Witch of the West”, foi publicado em 1995, e é nele que se baseia o enredo do consagrado musical da Broadway. Nos anos seguintes, foram publicados “Son Of a Witch” (Filho da Bruxa, 2005), “A Lion Among Men” (Um Leão entre os Homens, 2008) e “Out of Oz” (Fora de Oz, 2011). Para você que já se empolgou com a possibilidade de ler toda a série de livros, uma notícia não tão favorável: No Brasil, apenas os dois primeiros livros foram publicados em português e já estão fora de catálogo, não sendo fácil de ser encontrado nas livrarias nacionais, então, aqueles que estiverem desejosos de conhecer a obra completa de Maguire, a solução é a ler a série no idioma original ou procura-la em sebos. 


Mesmo que Gregory Maguire tenha tido envolvimento durante a elaboração do roteiro do musical, há grandes diferenças da história contada no palco para a obra original, a começar pelo tom da narrativa: Enquanto ‘Wicked’ é um musical family friendly, o livro tem um teor muito mais sombrio e, temáticas adultas. No livro, questão política de Oz tem grande enfoque e a personagem central realmente morre no final, diferente do musical, onde ela apenas forja seu derretimento. Outras tantas são as diferenças e por isso o Backstage Musical decidiu apresentar algumas diferenças entre as duas obras, saindo do conhecimento mais geral que os fãs têm. Se você realmente está empenhado em ler a obra original, recomendamos para a leitura por aqui. As sessões que se seguem contém uma quantidade considerável de spoilers.

 

 

O Enredo

 

A obra é dividida em cinco partes cada qual com o nome da região de Oz onde se situam os acontecimentos. Tudo se inicia em Munchkinland, o país do Leste, onde é retratada a infância de Elphaba Thropp, mostrando a criança com traços monstruosos, temida e rejeitada por todos que a cercam. A protagonista tem sim a pele verde e chega até ser agressiva, mordendo as pessoas com seus dentes afiados quando criança. Outro fato interessante é que Elphaba tem alergia à água, e é descrito no livro que o contato com o composto químico traz sensação de queimação em seus ossos.

 

A ação se segue em Gillikin, o país do Norte, onde se localiza a universidade Shiz. Lá a protagonista já adolescente, representada como uma garota completamente focada em seus estudos, já demostrando sua vontade de ajudar Oz e os Animais. É nesse capítulo também que se introduz Glinda, uma garota meiga que se torna uma das poucas amigas de Elphaba.
Em “City of Emeralds”, Elphaba, já conhecendo a farsa que é O Mágico, faz parte de um secreto grupo revolucionário, que luta contra os problemas que estão ocorrendo no governo atual. Já adulta e vivendo sem nenhum conhecido, a Bruxa se reencontra com Fiyero, e os dois vivem um romance.


Após a morte de seu amado, Elphie se muda para Vikus, o país do Oeste, na companhia de uma criança, de origem não revelada. Lá ela se hospeda no castelo onde Fiyero morava, sendo recebida pela esposa do príncipe, Sarima. É nesse momento em que a jovem começa a ser conhecida como "Bruxa Má do Oeste", enquanto aprendia alguns truques de mágica.


Em "The Muder and It's Afterlife", é mostrado o momento em que Dorothy chega a Oz, coincidindo com o momento que se passa a história de "O Mágico de Oz", mas dessa vez no ponto de vista da Bruxa, mostrando seus últimos momentos, onde reencontra pela última vez seus amigos de Shiz: Boq, Glinda e Avirac.

 

 

Os Personagens 
 

Diferente do musical onde Elphaba decide fazer o bem para que possa trabalhar com o Mágico, como entoado em "The Wizard and I", no livro a personagem tem como objetivo maior ser boa com as pessoas, indiferente das consequências que isso poderia gerar. Seu talento para magia é na verdade inexistente, aprendendo apenas alguns truques quando está bem velha, próximo de sua morte. A questão da cor verde é deixada em segundo plano, e em seus dias na Shiz ela não vive isolada como é representado no musical.


O único amigo de infância de Elphaba é Boq, que no livro não se torna o Homem de Lata. Durante todo o desenvolvimento do livro, o personagem se envolve unicamente com Glinda, em um rápido romance, sem ter nenhum relacionamento com Nessarose.


Já a irmã mais nova de Elphaba, Nessarose, possui características tanto físicas quando de personalidade bem diferentes do que vemos no musical: Nessa é extremamente religiosa, e amada por todos, não possui os braços, dependendo do auxilio da irmã para suas atividades. Para que tenha alguma independência, Glinda, que está aprendendo a usar mágica, enfeitiça os sapatos de Nessa, assim a jovem poderia se equilibrar e andar sozinha. Ou seja, a origem dos Sapatinhos que serão herdados pela menina Dorothy também é bastante diferente.


Diferente do que muitos pensam, Glinda não é co-protagonista da história, junto com Elphaba. Se o musical foca na amizade das duas garotas como linha narrativa central, no livro essa temática ocupa apenas um breve momento durante a passagem da Bruxa Má pela Universidade Shiz. Ao final, reaparece já casada com um jovem rico, e em momento algum indica algum tipo de interesse amoroso por Fiyero.

 

O personagem que mais se diferencia entre as duas versões é Fiyero. Chamado de Fiyero Tigelaar, o personagem é um príncipe Arjiki, do país dos Winkies, Vinkus. No livro, o jovem príncipe tem pele escure e é descrito com características tribais com braços cobertos por tatuagens, um corte de cabelo diferente, é tímido e se veste de forma estranha, dificilmente se enturma com os outros estudantes. Anos após sua passagem pela universidade, Fiyero reencontra Elphaba em Emerald City, já semelhante ao conhecido pelo musical, onde vive um romance com a Bruxa. Poucos meses após o reencontro o príncipe acaba sendo assassinado, sem ter a chance de virar o Espantalho.


Pouco explorado no livro, O Mágico é mencionado como "ditador", "imperador", "corrupto" e outras coisas do gênero. Em sua pequena aparição muito se assemelha ao Mágico já conhecido pelo musical e pelo filme “O Mágico de Oz”. É citada, também, sua jornada até Oz, onde buscava o livro de feitiços Grimmiere, que acaba caindo nas mãos de Elphaba.


O professor de Shiz mais influente é Doctor Dillamond que desenvolve suas pesquisas para salvar sua espécie, os Animais, um grupo de seres com corpo de animal mas que pensam e agem como seres humanos. Ao lutar contra o governo dO Mágico de Oz, e ter um considerável avanço em suas pesquisas, acaba sendo morto, e deixa Elphaba, sua ajudante, a cargo de salvar esses seres.


Um personagem peculiar que não aparece no musical é Liir, uma criança de aproximadamente 10 anos de idade, que aparece anos após a morte de Fiyero e acompanha Elphaba em sua jornada ao país do Oeste. Sua origem não é conhecida, mas ao longo do livro é dado dicas de que o menino é filho da Bruxa Má com o príncipe. Sua história de vida acaba sendo contada na edição seguinte da série, "Son of a Witch", revelando que a criança é filha do príncipe tribal.

 

Diferentes edições dos livros da série "The Wicked Years". Os dois primeiros livros da coleção receberam novas edições com capas inspiradas no musical nos EUA e Inglaterra, com a peculiaridade das páginas verdes esmeralda. No Brasil, foram publicados apenas os dois primeiros livros da série.

 

Independente da mídia, cada versão traz sua beleza, seu diferencial, se adequando na melhor maneira à linguagem escolhida e merece ser conhecida. A série de livros não se tornou um grande best seller como outras contemporâneas, no entanto, o primeiro livro da série ganhou uma reedição com a capa do musical que é facilmente encontrada nas lojas de Nova Iorque ou na West End, o que impulsionou em muito as vendas, tanto que o segundo livro da série também ganhou uma reedição inspirada no poster do musical. Fica então registrada nossa sugestão de leitura.

 

 

Please reload