Backstage Musical à beira de um ataque de “risos”

22/2/2016

 

 

O musical “Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos” encerrou a sua temporada em São Paulo e chegará ao Rio de Janeiro no próximo dia 05 de março, e o Backstage Musical foi conferir o final dessa temporada paulista.

 

Como muitos já sabem, o musical é baseado no filme homônimo de Pedro Almodóvar, votado como um dos 100 melhores filmes da história, e traz ao palco o mundo feminino onde a história de três mulheres com problemas amorosos se cruza e revela toda a complexidade dos relacionamentos e da vida feminina.

 

Estrelado por Pepa (Marisa Orth), uma atriz que guarda em segredo sua gravidez, e se vê perdida após ser abandonada pelo amante. Em meio aos “dias tristes” de Pepa, em que a peça se passa, é possível morrer de rir com a encenação irreverente de Marisa e sua veia cômica, além de ficar boquiaberto ao ouvi-la cantar. Candela (Helga Nemeczyk), sua melhor amiga, se apaixona por um terrorista e decide pedir ajuda a sua confidente temendo parar na cadeia como cúmplice. A personagem cativa o público com o seu jeito “modelo-gostosa-burra” e tem falas engraçadíssimas e inesperadas e uma canção de deixar todo mundo arrepiado, mesmo morrendo de rir. Já Lúcia (Totia Meirelles), ex-mulher do amante de Pepa, resolve se vingar do ex-marido nos tribunais depois de ter sido deixada por ele. Depois da sua primeira aparição em cena, cada vez que o público se depara com Lucia já espera para rir, a personagem bipolar e problemática é sem dúvida alguma uma garantia de boas gargalhadas na peça.

 

O elenco conta também com: Juan Alba que interpreta Ivan, a causa de todos os problemas; 

 

Daniel Torres, como Carlos, o filho de Lucia e Ivan, um bom garoto que prepara o seu casamento até conhecer Candela e se apaixonar loucamente por ela; 

 

Ivan Parente, o narrador, um taxista que ama morar em Madrid e que emociona a todos quando canta ao lado de Marisa Orth uma canção para as mães;

 

 Erika Riba, a advogada feminista, que se contradiz aceitando ser mais uma das mulheres de Ivan e tentando defender o valor e o direito da mulher; 

 

Carla Vazquez, a noiva de Carlos, que sonha com o casamento e acredita que tudo vai melhorar em seu relacionamento após irem morar longe da sogra; 

 

Arízio Magalhães e Kiko do Valle que formam uma dupla de policiais imbatíveis no riso, em uma das cenas finais;

 

Betto Marque, o terrorista, arranca suspiros do público feminino ao aparecer só de toalha no palco;

 

Oscar Faião, o médico (jovem demais), rouba todos os olhares na coreografia no quarto do hospital. E ainda Bruna Pazinato, Clara Verdier, Giovana Zotti, Nay Fernandes, Tassia Cabanas, Carlos Leça e Frank Tavantti que dão força as músicas e coreografias (que são incríveis), além de personagens esporádicos com ótimas piadas.

 

As coreografias de Fernanda Chamma são um espetáculo à parte! É impossível não sentir vontade de dançar e ter os olhos fixos nas coreografias com todo o elenco no palco. Comédia é mesmo a veia certa de Miguel Falabella, e nessa tradução, mais uma vez, ele foi incrível. O texto e (principalmente) as piadas são incríveis e muito brasileiras, além das músicas que te deixam preso à letra, te fazendo encaixar cada estrofe cantada às cenas. Uma comédia com a cara das brasileiras, para rir do começo ao fim e mesmo assim refletir e se emocionar. Com cenas cotidianas que parecem irreais, mas com um pouco da realidade de cada uma das mulheres.

 

O Backstage Musical recomenda e quer rir de novo!

Please reload