Retrospectiva Musical 2015

31/12/2015

Estamos na reta final de mais um ano: 2015 já está acabando e sempre rola aquela nostalgia ao relembrar das coisas que aconteceram durante os últimos 12 meses e felizmente, temos muito o que comemorar pois esse ano foi um ano de muitas produções e muito Teatro Musical para fã nenhum botar defeito. Acompanhe nossa retrospectiva e relembre fatos que marcaram esse ano.


O ano começou com a estreia no cinema de “Into The Woods”, que no Brasil foi chamado de “Caminhos da Floresta”. O clássico de Sondheim era um dos grandes aguardados do público e recebeu três indicações para o Oscar, infelizmente não ganhando nenhuma, no entanto, durante a cerimônia de premiação mais importante do cinema, os musicais estiveram presentes de diversas formas, inclusive com uma das canções do seriado ‘SMASH’. No cinema esse ano, ainda tivemos a estreia nacional do remake do musical “Annie”, adaptado para a tecnologia dos dias atuais, o filme contava com Cameron Diaz e Jamie Foxx no elenco e Quvenzhané Wallis, como a carismática órfã.


Ainda em janeiro, os paulistas puderam ser agraciados com mais uma temporada de “O Homem De La Mancha”, produção do Ateliê de Cultura em parceria com a FIESP. O aclamado musical ficou em cartaz até o fim de junho, marcando o fim da parceria entre Ateliê e FIESP/SESI e conquistando o prêmio do Melhor Musical pela APCA e Bibi Ferreira e sendo assistido por mais de 200 mil espectadores sonhadores. Para os Cariocas, o primeiro semestre, começou com "Sim! Eu Aceito", versão do original ‘I Do! I Do!’. Com Diogo Vilela e Sylvia Massari no elenco, o musical conta a história de um casal desde seu casamento até a morte, onde a simplicidade no elenco, orquestra e cenário reforçavam o espaço que os musicais estilo ‘Off- Broadway’ tem ganhado no Brasil. O musical foi produzido pela Fábula Entretenimento e fez temporada em São Paulo, no Teatro Gazeta e seguiu em turnê para Recife, Brasília e Porto Alegre.

Uma das grandes estreias do ano foi o musical “Mudança de Hábito”, mais uma franchise trazida pela T4F Musicais e que ficou em cartaz no Teatro Renault de março até dezembro após duas renovações da temporada. Baseado no filme estrelado por Whoppi Goldberg (produtora do musical) em 1990, o musical foi um sucesso: Protagonizado por Karin Hills, o elenco trouxe a São Paulo uma comédia de qualidade, revelando talentos como Ana Luiza Ferreira e ainda, sendo premiado nos Prêmios Bibi Ferreira e Arte Qualidade Brasil, ganhando como ‘Melhor Musical’ nesse último. A T4F trouxe ainda aos palcos paulistas o musical “Antes Tarde do que Nunca”, versão do musical ‘Nice Work If You Can Get It’. O musical dos irmãos Gershwin chegou ao Brasil em agosto no Teatro Cetip com Miguel Falabella (Jimmy) e Simone Gutierrez (Billie) ao lado de Cláudio Galvan, Jana Amorim, Ingrid Gaigher, Patrick Amstalden, Luciana Milano, Carlos Capelleti, Fábio Yoshihara e Naomy Scholing em um divertido texto. Esse ano a produtora de fato apostou nas comédias e o sucesso foi grande: crítica e público riram muito com ambas produções, no entanto a grande diversão ficou por conta dos elencos, conforme podemos ver no vídeos lançados ao fim da temporada de ‘Mudança’ e ‘Antes Tarde’.

Outra produção da Broadway que chegou as terras tupiniquins foi “Chaplin, O Musical”, que estreou logo no primeiro semestre, no Theatro NET SP. Com Jarbas Homem de Melo trazendo vida ao personagem título, o musical trazia também Marcelo Anthony, Paulo Goulart, Naíma, Leandro Luna, Paula Capovilla e Giulia Nadruz no elenco principal contando a história do grande ícone do cinema. O musical fez em agosto uma curtíssima temporada de dez sessões no Rio de Janeiro, no Vivo Rio, e voltou para a capital paulista, dessa vez no Teatro Procópio Ferreira, onde fez temporada até meados de setembro. Produzido pela Raia Produções em parceria com a Chaim Produções, o musical foi o início das comemorações para a atriz e produtora Cláudia Raia. O ano de 2015 foi marcado pela celebração dos 30 anos de carreira de Cláudia Raia e para tanto, a atriz estreou “Raia 30, O Musical”, espetáculo onde a artista revisitava seus principais trabalho na TV, teatro e cinema: O musical fez temporada no Theatro NET SP de julho a setembro e também no Oi Casagrande, de outubro a dezembro.

Continuando as comemorações, a Aventura Entretenimento se uniu à Musickeria Corp. para a celebração do centenário do Samba através da produção do musical “SamBRA – 100 Anos de Samba”. Com o sambista Diogo Nogueira a frente do elenco, o musical fez curta temporada no Rio e em SP e depois seguiu turnê por mais cinco capitais, cantando a história do ritmo legitimamente brasileiro. Após um hiato desde sua turnê no primeiro semestre, o musical iniciou nova temporada no Rio de Janeiro no Teatro João Caetano. Vale lembrar que a turnê contou com cobertura do Canal Viva, mostrando os bastidores e até mesmo o espetáculo na íntegra.

Outra grande produção da Aventura Entretenimento foi “Chacrinha, O Musical”, que primeiramente fez temporada no Rio de Janeiro no Teatro João Caetano em novembro de 2014 e depois, em São Paulo no Teatro Alfa. A história do velho guerreiro fez grande sucesso, seguindo turnê por cinco cidades brasileiras e se tornou o primeiro musical a ser televisionado no Brasil como parte das comemorações de aniversário do Canal Viva, abrindo caminho para ‘SamBRA’ como já falamos anteriormente. A Aventura ainda seguindo em suas produções originais, estreou “BarbarIdade”, musical idealizado por ensaios de Ziraldo, Zuenir Ventura e Veríssimo sobre a terceira idade, amarrados pelo texto de Rodrigo Nogueira. O musical fez sua estreia em março no Rio no Teatro Oi Casagrande com Susana Vieira, Osmar prado, Edwin Luisi e Marcos Oliveira a frente do elenco; já em São Paulo, a atriz Stella Maria Rodrigues, assumiu o papel de Suzana Vieira, realizando toda a temporada paulista que teve início em julho no Teatro Sérgio Cardoso. Por fim, a produtora estreou em outubro “O Primeiro Musical A Gente Nunca Esquece”, espetáculo que unia o universo da publicidade com o dos musicais em uma comédia romântica musical. Fazendo uma revisita a canções clássicas de musicais e jingles publicitários. Após sucesso da temporada paulista no Theatro NET SP, o musical se prepara para estrear nos palcos cariocas no logo menos em janeiro de 2016.

Ainda no assunto das produções nacionais originais, 2015 foi um ano bem farto, onde clássicos da literatura nacional ganharam os palcos. A Tema Eventos estreou o musical “Bilac Vê Estrelas”, uma comédia que contava com canções originais de Nei Lopes, propondo um resgate histórico do Rio de Janeiro no início de sua urbanização, trazendo figuras históricas em sua trama como Olavo Bilac (André Dias, brilhante) e o jornalista José do Patrocínio (Sérgio Menezes) . O musical foi um grande sucesso de público e crítica e fez temporada no Rio (Teatro dos Quatro) e São Paulo (Teatro Espaço Promon). Já “Memórias de um Gigolô” trazia um resgate da cidade de São Paulo em seu processo de urbanização. Com Mariana Rios, Leonardo Miggiorin e Marcelo Serrado a frente do elenco, o musical da Chaim Produções estreou no Teatro Procópio Ferreira em julho sobre a polêmica proibição do juizado de menores de proibir a participação dos atores mirins no musical. Com adaptação e letras originais de Miguel Falabella, e composições de Josimar Carneiro, o musical fez ainda curta temporada no Rio no OiCasagrande em Outubro, desta vez com a participação regulamentada dos atores mirins. Outro clássico literário que ganhou os palcos esse ano foi a obra prima do autor Osman Lins através de “Lisbela e o Prisioneiro, O Musical”. Com uma roupagem circense, o musical estreou em São Paulo no Teatro Nair Bello, fez temporada no Theatro NET Rio, seguiu em turnê e voltou a São Paulo no Teatro Espaço Promon.

O clássico musical brasileiro ‘Ópera do Malandro’, de Chico Buarque, ganhou uma remontagem nesse ano. A Sarau Agência de Cultura, produtora do aclamado ‘Gonzagão, A Lenda’, trouxe aos palcos do Theatro NET SP, “Ópera do Malandro”, sobre a direção de João Falcão trazendo um elenco majoritariamente masculino, onde os atores se revezavam entre papéis masculinos e femininos. Junto de ‘Gonzagão’, o musical seguiu turnê por Belo Horizonte, Vitória, Recife, Aracaju, Salvador e outras cidades. 2015 também foi o ano que a obra do grande dramaturgo brasileiro Nelson Rodrigues ganhou seu viés musical com a estreia de “O Beijo no Asfalto, O Musical" em outubro desse ano no Teatro das Artes no Rio de Janeiro. Com canções originais de Cláudio Lins, o musical tinha no elenco Laila Garrin, Cláudio Tovar, Thelmo Fernandes, Yasmin Golemsky, Gracindo Junior, Jorge Maya, Janaína Azevedo, Ricardo Souzedo, Gabriel Staufer, Pablo Áscoli, Juliane Bodini e Juliana Marins, além do próprio Lins.

Dentre os jukeboxes 2015 foi marcado pela estreia do biográfico “Dias de Luta, Dias de Glória – Charlie Brown Jr, O Musical”, que contava a história da banda de rock nacional, com direito a pista de skate no cenário e b-boys no elenco, estreou em março no Teatro Gamaro e teve sua temporada abreviada em maio devido problemas da produção. Dono de um gingado inconfundível, Wilson Simonal teve sua carreira contada em “S’Imbora, O Musical – A História de Wilson Simonal”. Com Ícaro Silva no papel principal, o musical estreou no Rio de Janeiro, no Teatro João Caetano e depois fez temporada paulista no Teatro Cetip. Com texto de Nelson Motta e Patrícia Andrade, a produção foi um sucesso e seguiu turnê por Belo Horizonte, Salvador e Brasília, voltando enfim para mais uma breve temporada em São Paulo. O biográfico “Cássia Eller, O Musical” continuou em cartaz esse ano no Rio e em SP; e “Cazuza – Pro Dia Nascer Feliz, O Musical” seguiu em turnê pelo país e realizou apresentações especiais, inclusive apresentações gratuitas em locais públicos.

Saindo dos biográficos, temos “Nuvem de Lágrimas, O Musical”, espetáculo que conta com a direção de Luciano Andrey e Tânia Nardini e com texto de Anna Toledo baseado no romance de Jane Austen, ‘Orgulho e Preconceito’. O musical, fez temporada de outubro a dezembro no Teatro Bradesco SP e contava dentro de seu repertório músicas da dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó, sendo uma exaltação ao estilo caipira. Segue ainda na lista de musicais nacionais originais “Miranda por Miranda”, protagonizado por Stella Miranda visitando a carreira de Carmem Miranda que fez temporada em São Paulo (Teatro Espaço Promon) e sessões especiais em Campinas; e também a nova montagem de “Constellation”, que sob direção de Jarbas Homem de Mello, fez temporada no Rio e São Paulo.


E falando em produções legitimamente brasileiras, nesse ano ocorreu a terceira edição do Prêmio Bibi Ferreira, premiação exclusivamente dedicada ao reconhecimento das produções em Teatro Musical no âmbito nacional, com enfoque no teatro paulista. Com 22 produções concorrendo, o musical “O Homem de La Mancha” levou o prêmio de ‘Melhor Musical’ e ‘Melhor Musical – Voto Popular’ e “Bilac Vê Estrelas” foi eleito ‘Melhor Musical Brasileiro’. Com Alessandra Maestrini como anfitriã, a noite da premiação foi uma ode ao Teatro Musical Brasileiro ao ser celebrada no Theatro Municipal de São Paulo numa cerimônia que reuniu grandes nomes dos musicais brasileiros e ainda contou com um show de encerramento pela própria Bibi Ferreira.

Continuando com as premiações, a 69a edição do Tony Awards foi um grande resumo da temporada 2014/2015 da Broadway. Com muitas produções concorrendo, os destaques da temporada ficaram por conta dos musicais “An American in Paris”; a comédia “Something Rotten” e “Fun Home”, grande ganhadora do premio de ‘Melhor Musical’. Além disso, outras produções da temporada foram os revivals de “Gigi”; “On The Town”; “On The 20th Century” e “The King and I”, que garantiu o tão esperado Tony para a atriz Keli O’Hara. “The Visit” marcou a volta de Chita Rivera aos palcos, com um musical de Kander e Ebb e “Finding Neverland” encantou o público com maravilhosos efeitos especiais. Entre os flops ficaram ‘Honeymoon in Vegas’; ‘Doctor Zhivago’ e ‘If Ya Holler Me’. Após a premiação, a corrida pelo Great White Way já recomeçou e produções como ‘Hamilton’; ‘School of Rock’; ‘Sylvia’; ‘Dames at the Sea’ já figuram entre as favoritas do público, além dos revivals de ‘Spring Awakening’; ‘Fiddler on the Roof’ e ‘The Color Purple’.


Ainda com notícias gringas, esse ano foi marcado pelo fim da série musical da FOX ‘Glee’ após seis temporadas de muito sucesso entre os fãs de musicais. Já a série da NBC ‘SMASH’, que encerou suas gravações em maio de 2013, exibiu sua apresentação de “Bombshell In Concert”, trazendo performances dos números musicais da série do musical fictício sobre Marilyn Monroe. A recepção do público foi tamanha que foi anunciado que os produtores da série estão em processo de desenvolvimento do musical ‘Bombshell’ na íntegra. Dois musicais ganharam versões televisivas esse ano: “The Wiz”, um reconto da história dO Mágico de Oz, teve sua versão live produzida pela NBC e transmitida ao público no último dia 3 de dezembro. Já “Grease”, produção da FOX, será exibido na noite do dia 31 de dezembro e conta com Aaron Tveit, Alex Rudzinski, Vanessa Hudgens, Carlos Pena Vega e Keke Palmer a frente do elenco.


Para a Moeller e Botelho, 2015 foi um ano bastante significativo. O ano começou com a nova temporada paulista do jukebox “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, que fez temporada no Teatro Cetip com elenco renovado que incluía Marya Bravo e Gabi Porto. “Nine – Um Musical Felliniano”, estreou em maio, sendo o primeiro musical a ser encenado no Teatro Porto Seguro em São Paulo. A montagem brasileira do premiado musical da Broadway conta trajetória do cineasta Guido Contini (vivido memoravelmente por Nicola Lama) em uma crise criativa e trazendo destaques no elenco como Malu Rodrigues e Myra Ruiz, marcando a volta de Totia Meireles aos musicais e a estreia de Carol Castro, Letícia Birkheuer e Beatriz Segal no ramo. Com ensaios simultâneos no Rio e em SP, o musical fez grande sucesso com o público e ganhou temporada carioca no Teatro Clara Nunes em outubro. Vale ainda lembrar que o autor do livro original do musical, Mario Fratti pode conferir de perto a montagem brasileira do musical e teceu grandes elogios ao elenco.

A dupla ainda trouxe mais uma temporada de “Beatles Num Céu de Diamantes” para São Paulo, sendo montada em parceria com a Conteúdo Teatral como resultado de uma oficina de montagem. O jukebox fez temporada no Teatro Folha e em outubro, foi transferido para o Rio de Janeiro no Teatro Leblon com algumas mudanças no elenco. No segundo semestre, fechando o ‪#‎OutubroMB‬, a grande estreia da dupla foi “Kiss Me Kate- O Beijo da Megera”, o primeiro musical de Cole Porter a ser montado na íntegra no Brasil. Encabeçado por José Mayer e Alessandra Verney, a divertida comédia fez temporada no Teatro Bradesco Rio e fazia uma sátira aos musicais revisando o clássico de Shakeaspeare ‘A Megera Domada’. Por fim, a dupla ainda entrou em cartaz com “Versão Brasileira”, musical em comemoração aos 25 anos da dupla: Com Claudio Botelho e Malu Rodrigues no elenco, o musical fez temporada no Rio de Janeiro no Teatro Clara Nunes trazendo canções que marcaram os musicais já montados pela dupla.


Duas peças não musicais da Broadway tiveram versões nacionais nesse ano: "Vanya e Sonya e Masha e Spyke", tinha no elenco Marília Gabriela, Teca Pereira, Patrícia Gaspar, Elias Andreato, Bianca Tadini e Bruno Narchi e fez temporada no Rio e São Paulo, sob direção do incrível Jorge Takla. "MasterClass" era protagonizado por Christiane Torloni como a diva da ópera Maria Callas, além de Bianca Tadini, Juliane Daudd, Leandro Lacava e Thiago Soares, sob direção de José Possi Neto. Diferente de 'Vanya', 'MasterClass' só fez temporada em SP.

Um dos grandes marcos da temporada paulista foi “Urinal, O Musical”, produção do Núcleo Experimental de Teatro que esteve em cartaz desde abril de 2015, prorrogando sua temporada duas vezes devido ao grande sucesso de público e crítica. O musical é a versão brasileira do premiado musical da Broadway ‘Urinetown’, que por aqui ganhou direção e versão do brilhante José Henrique de Paula e rendeu o Prêmio Bibi Ferreira a Bruna Guerrin e a Daniel Costa. ‘Urinal’ já se prepara para uma nova temporada a partir de fevereiro no Teatro Porto Seguro. Outro destaque, dessa vez da temporada carioca, foi para “Godspell”: O musical começou como uma prática de montagem acadêmica do CEFTEM, escola de teatro do Rio que conta com a direção do ator Reiner Tenente. O musical tinha direção de João Fonseca e tamanha foi sua aceitação com o público que a montagem acabou se profissionalizando, tendo os direitos originais comprados e a temporada se estendendo por meses, passando pelo Teatro Vanucci e Teatro Ipanema.

Com temporada apenas no Rio de Janeiro, o musical “Be Careful, It’s My Heart” trazia canções de Irving Berling interpretadas por Darwin Del Fabro e Laura Lobo em um romântico espetáculo que fez temporada no Teatro Maria Clara Machado. Outro musical que até então só fez temporada no Rio de Janeiro, foi “Ou Tudo Ou Nada”, versão brasileira do musical “The Full Monty”, a comédia que mostra como um grupo de amigos se organizou para sair da crise financeira da década de 90 despertou a atenção dos curiosos pela cena de nu frontal e chamou atenção por fazer sua pre-estréia em Niterói, duas semanas antes da estreia oficial no Theatro NET Rio. Embora essa prática já seja comum no circuito Broadway, no Brasil, esse tipo de lançamento foi até então uma grande novidade.

A última grande estreia no Rio de Janeiro esse ano veio no final de outubro, com o musical "Como Eliminar Seu Chefe", versão brasileira do sucesso da Broadway "9 To 5", outra produção da Fábula Entretenimento. Com Marcos Breda, Tânia Alves, Sabrina Korgut e Simone Centurione no elenco, o espetáculo é uma comédia sobre o cotidiano dos escritórios. Já em São Paulo, a última grande estreia ficou por conta de "Mulheres a Beira de um Ataque de Nervos". Enquanto muitas produções encerravam suas temporadas, o musical estava estreando no Teatro Procópio Ferreira com um poderoso elenco chefiado por Marisa Orth, Totia Meireles, Juan Alba e Ivan Parente. Com direção de Miguel Falabella, o espetáculo foi baseado no filme homônimo de 1988 de Pedro Almodóvar, que retrata a história de três mulheres que acabaram enlouquecidas após desilusões amorosas.


Somam-se ainda as produções que aconteceram nesse ano: "Todo Vagabundo Tem Seu Dia de Glória" (Rio), "O Lugar Onde Se VÊ" (SP)", "Amargo Fruto - A Vida de Billie Holiday" (Rio), "A Princesa Frida" (BH), "A Rainha da Neve" (SP), "Chão de Estrelas" (Rio), "Deixa Clarear"(Rio), "Chico Xavier - No Céu da Vibração (BH); Natal Mágico" (SP), além da primeira montagem oficial da Broadway acontecendo fora do eixo Rio-SP em Fortaleza, com o musical "Avenida Q". UFA! Que ano! Resta agora nos esperar que 2016 seja um ano ainda mais frutífero para o Teatro Musical do que 2015 foi. Fiquem de olho no Backstage Musical para uma cobertura completa durante o próximo ano e, conferir em breve, a preview para o ano que vem.

 

Please reload