Jesus Cristo Superstar causa Polêmica

22/2/2014

A Ópera-rock de Andrew Lloyd Webber aqui no Brasil é uma  superprodução da Time For Fun (T4F) em parceria com a Takla Produções, duas das maiores produtoras de teatro musical do brasil,  que tem estréia prevista para 14 de março no teatro do Complexo Ohtake Cultural (Rua dos Coropés, 88 – Pinheiros). Desde a sua estréia mundial, em 1970, a obra Jesus Cristo Superstar revoltou cristãos fervorosos que consideram o espetáculo blasfemo. No Brasil não poderia ser diferente. Até mesmo os primeiros rumores na imprensa já previam tais ações, é o exemplo da primeira matéria sobre o musical publicada em 30 de novembro de 2013 no diário “O Estado de São Paulo”, do jornalista Ubiratan Brasil, que tinha como chamada “A volta do polêmico ‘Jesus Cristo Superstar’ – Musical considerado blasfemo ganha nova versão em 2014″.

 

A comoção que surgiu em grande escala em redes sociais durante essa semana trata-se de uma petição destinada ao Ministério da Cultura e a ministra da cultura Marta Suplicy que tem como argumento “Não se pode promover atentados contra a Fé dos brasileiros sob pretexto de promover a Cultura!” (clique aqui para acessar o documento) que já tem mais de 24.000 assinaturas virtuais.

 

Uma vez que vivemos em um estado laico, ou seja, aquele que não possui uma religião oficial e mantém-se imparcial ao que se refere temas religiosos, a petição não trará problemas de proibição a estréia do musical. De toda forma se lermos o documento que está sendo veiculado os motivos pelos quais eles lutam é que a obra desrespeita a fé de um estado laico (eles sabem que nosso estado é imparcial quanto a isso), além de usar dinheiro de contribuintes para o apoio do espetáculo. Quanto ao segundo ponto levantado basta olhar para todos os musicais e peças em cartaz na cidade de São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, para ver que a maioria vale-se de mecanismos que o próprio governo criou para fomentar o mercado cultural como Lei de Incentivo à Cultura, Lei Rouanet ou Arrecadação do Fundo Setorial, o que nos leva a um outro assunto que é a importância de tais programas para  trazer grandes musicais, como o país vem recebendo nos últimos anos. Sigam nosso site para futuros posts que irão aprofundar tal tema.

 

Na cidade de Rostov, sul do país russo, o protesto de ortodoxos impediu apresentação do musical consagrado. Até mesmo lá um porta-voz da igreja ressaltou à agência Associate Press não ter relação alguma com a petição e protestos de manifestantes ortodoxos contra o musical (para ler matéria da BBC completa clique aqui). A peça já havia sido apresentada outras várias vezes nas últimas décadas mas somente agora teve um grupo que se opuseram, talvez pela sensibilidade que o tema religioso está sendo levado nos últimos anos na Russia como o protesto contra Vladmir Putin dentro da Catedral Ortodoxa de Moscou que puniu os participantes de tal ação.

 

O musical que conta com Alírio Netto, Negra Li e Igor Rickli tem a narrativa que apresenta a última semana de vida de Jesus Cristo, desde sua chegada em Jerusalém até o dia em que foi crucificado. Jesus Cristo, Judas Iscariotes e Maria Madalena são os personagens centrais nas questões políticas, religiosas e pessoais, que são vividas pela humanidade até hoje, o que torna o musical tão atual.

 

Esses tabus não envelhecem e talvez possamos enfrenta-los novamente” Jorge Takla, diretor do espetáculo para O Estado de São Paulo

 

Os ingressos variam entre R$25,00 e R$230,00 e podem ser adquiridos no site da Tickets For Fun até a apresentação de 30 de março. O musical tem previsão de ficar na cidade de São Paulo até junho deste ano. Informações sobre outras cidades ou prorrogação de temporada ainda não foram divulgadas.

 

 

 

Please reload